Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a inês sabe disto

Qual é o segredo da melhor francesinha do Porto?

 

 

20242718_oSiOc.jpeg

Dizem que está no molho! Para mim, que já estive no Café Santiago a degustar aquela que é considerada uma das melhores francesinhas da Cidade Invicta, acredito que o truque reside na sintonia perfeita de quantidades, sabores e frescura dos elementos que a compõem. Ali servem-se centenas de francesinhas por dia. Perdem-lhes a conta. Mas consta que há dias em que contabilizam mais de 500. A permanente fila de espera é o primeiro indicador de uma qualidade que já lhes valeu vários prémios, certificados de excelência e espaço em algumas das mais conceituadas revistas internacionais. A família que fez crescer e levar a bom porto este negócio adianta que o verdadeiro segredo, a “essência”, como costumam dizer, está bem guardado no seio da família. E assim será enquanto conseguirem mantê-lo. Mas há técnicas e pequenos truques que asseguram a qualidade da Francesinha Santiago e que não se importam de revelar e partilhar com os clientes. Passemos então à prática…

 

Pão: Usam o pão de forma tradicional, cozido em forno de lenha. As fatias são aparadas à mão, com a medida ideal para que possam servir posteriormente de base perfeita à construção da francesinha.

Mortadela: O ponto de partida é uma fatia fina de mortadela, com um sabor suave, mas nunca ao ponto de passar despercebido. Serve de base aos restantes ingredientes.

Salsicha fresca: Recebem todos os dias salsicha fresca que é grelhada no momento em que é pedida a francesinha na mesa. O mesmo acontece com todos os outros ingredientes. Nada é pré-confeccionado.

Linguiça fresca: O sabor tem de ser intenso, com um toque fumado de preferência.

Bife de novilho: Os bifes de novilho das Francesinhas Santiago são provenientes de peças inteiras, frescas, inspecionadas pelos próprios, sem gorduras, e cortadas em bifes grelhados na chapa e colocados por cima da salsicha fresca e da linguiça.

Fiambre: O fiambre é cortado com uma espessura específica de modo a que pareça um “bife” de fiambre.

Queijo: A fatia de queijo não pode ser grossa nem fina. É colocada sobre o fiambre à temperatura ambiente e vai derretendo com o calor do processo e dos restantes ingredientes.

Tostar o pão: Tostar e torrar o pão não é a mesma coisa. O pão da Francesinha Santiago é cuidadosamente tostado, sem torrar, para que fique crocante.

Ovo: O ovo é estrelado na chapa, sem óleo, e cuidadosamente colocado por cima da fatia de pão tostado.

Queijo de Cobertura: Quatro finas fatias de queijo com semi-círculos recortados são colocadas em cima do ovo. O queijo funde-se numa consistência perfeita pelo molho quente.

Molho: São vários os ingredientes que fazem o molho da Francesinha Santiago. Mas eles asseguram que o lume, os tachos, os temperos, os tempos de fervura… tudo faz diferença.

 

 

 

Para os viciados na marmita!

 

4.png

 

Digam o que disserem, isto de levar marmitas para o trabalho é muito giro, económico e saudável mas nem sempre há coragem, paciência e sobretudo... tempo para prepará-las! Principalmente se pretendermos que a ementa seja variada e saudável. Por motivos de logística e horários imprevisíveis, nunca tive grande possibilidade de optar por esta estratégia. Felizmente hoje em dia consigo fazer a maioria das refeições em casa. Mas tenho pelo menos duas amigas cujo apego à marmita é tal que acabaram por descobrir recentemente uma marca "A Marmita" que é o sonho de qualquer marmiteiro preguiçoso ou com falta de tempo. No site apresentam-se com um texto que nos transporta para memórias dos sabores de outrora.

Passo a citar: "A Marmita leva-te de volta. De volta à escola. À cantina. Ao peixe com brócolos e ao hambúrguer com batatas fritas. Às mesas corridas de madeira. Às piadas à hora da refeição. À universidade. Aos colegas de carteira. Ao primeiro emprego. Aos conselhos da mãe. Às refeições à grande e à portuguesa. Aos mimos dos avós. Ao almoço preparado em casa. Aos tempos à antiga. Ao “quentes e boas”. Ao cheiro do forno a lenha. Às refeições à homem. Leva-te de volta e a escolher bem, a comer melhor e a pagar menos."

E isto diz tudo!

Demoramos pouco mais de cinco minutos para realizar a encomenda das refeições no site. É tudo muito prático, intuitivo e simples.Com uma ementa variada de segunda a sexta, cada refeição não chega aos 4 euros. Um preço bastante compensador tendo em conta a qualidade,quantidade e o sabor de cada refeição. Pelo menos é o que dizem as minhas "marmita addicted friends".Não me vou alongar mais em descrições sobre o serviço porque "A Marmita" fez muito bem o trabalho de casa e o site não podia estar mais completo e fácil de explorar. Dêem uma espreitadela aqui e digam-me o que acharam. Entretanto deixo-vos com as fotos de algumas marmitas que poderão encomendar neste site. A distribuição das refeições está, para já, limitada a Lisboa e áreas limítrofes. Para saber se a vossa morada está abrangida na área de distribuição, basta digitar o código-postal no site e ficam logo a saber! Ah...para os geograficamente afortunados, não deixem de experimentar a marmita tailandesa. Contaram-me que é uma verdadeira delícia. Bom sábado!

 

2.jpg

3.png

4.png

6.png

7.png

8.jpg

 

 

A Tasquinha do meu Coração...

16019_1056149454412798_3424435917012503823_n.jpg

Chama-se Tasquinha do Gil e fica situada na Aldeia da Mata Pequena, no concelho de Mafra. Confesso que embora caia de amores pelo requinte de certos restaurantes, não há nada que me encha mais a alma do que dar de caras com sítios assim. Imprevista, doce e acolhedora, esta tasquinha está enquadrada num cenário encantador de turismo rural. E embora fique perto da agitação de localidades como Mafra e Sintra, é preciso uma boa dose de intuição geográfica para ali chegar. Para quem lá se desloca pela primeira vez, nada como fazer à antiga e ir perguntando a direcção a quem passa na estrada. O GPS é uma alternativa mas, pelo menos comigo, não me levou lá à primeira. Nem à segunda...

A decoração surpreende-nos pelo bom gosto e tradição. O espaço interior é pequeno (muito pequeno mesmo!!) e acreditem, é isso que lhe dá encanto. A ementa está cheinha de coisas boas e é uma óptima surpresa para os amantes da boa cozinha. Os pratos são apresentados com um toque de modernidade mas sem deixar cair por terra os sabores tradicionais. E há de tudo, para todos os gostos! Nos dias em que o tempo estiver mais ameno, não deixem de usufruir da esplanada. A paisagem rural circundante é mesmo de cortar a respiração. Uma verdadeira inspiração! E fora de brincadeiras, não se surpreendam se derem de caras com um bode, um pavão ou uma ovelha enquanto almoçam.

Um grande bem-haja à família que abraçou este projecto. Criaram a tasquinha do meu coração...

(A Tasquinha foi de férias e reabre dia 23 de Setembro)

 

10150718_806078872753192_1637179566_n.jpg

11053347_1080052885355788_1453662072390913646_n.jp

11088347_1034763403218070_2723472069916274905_n.jp

11109440_1067179796643097_4219153128661824686_n.jp

11253229_1083627361665007_4566897973462628311_n.jp

11899764_1114226375271772_7094116822762063447_n.jp

12064434_10153604088480767_914173903_n.jpg

12067226_10153604087015767_494817332_n.jpg

12067821_10153604087805767_746545727_n.jpg

12068028_10153604088020767_875555851_n.jpg

12071494_10153604087845767_353983999_n.jpg

12077115_10153604087900767_19818827_n.jpg

 

 

 

 

 

Finalmente jantei bem num festival!

Dificilmente saíremos de um festival de música com boas recordações gastronómicas na bagagem. Dentro dos recintos as opções são poucas, a qualidade é fraca e o preço demasiado alto. Arranja-se o pretexto de que os festivaleiros preferem cachorros e pizzas. E isso talvez não esteja tão longe assim da realidade. Mas quem arrisca...petisca! Literalmente! Este ano o NOS Primavera Sound, por exemplo, destacou-se por um investimento bastante forte na área da restauração. E até onde sei, o balanço foi bastante positivo. Não faltaram cachorros e pizzas mas também comida biológica, vegan, sushi, francesinhas, leitão e outros petiscos.

Por cá, na Ericeira, nem tudo foi péssimo neste sector. Apesar da minha estreia no recinto do Sumol Summer Fest ter ficado marcada por um cachorro que mais vale nem recordar, acabei por ser salva pela Merenda Portuguesa. Já tinha ouvido falar desta marca mas nunca tinha estado frente a frente com este encanto de roulotte gastronómica. Aqui há farinheira com ovos e feijão verde, bifanas com molho de cerveja e mostarda, frango na púcara, cozido à portuguesa, salsichas com couve lombarda e uma opção vegan. Tudo "embrulhado" num pão com um formato super original e tão inteligente que não é necessário fazer malabarismos para que possamos fazer a degustação sem que metade vá parar ao chão. Paguei €4,75 por uma merenda enorme e deliciosa de ovos mexidos com farinheira e um pacote de batatas fritas artesanais. Um preço justíssimo pela qualidade que faz pendant com a enorme simpatia dos funcionários. Eles vão estar nos dias 8, 9 e 10 de Julho no StrEATfest, nos Jardins de Belém. Passem por lá, experimentem e digam-me de vossa justiça. 

 

1 .jpg

3.jpg

4.jpg

2.jpg

Bifana.jpg

BacalhauEspiritual.jpg

Três Tipos Pão.png

Merenda 4 (1).jpg

Fotos: Merenda Portuguesa

Começa hoje a rota dos Hambúrgueres Hellmann's

 

cartaz1.jpg

 

Começa hoje a "2ª edição da Rota dos Hambúrgueres HELLMANN’S". Até ao dia 31 de Julho, 58 hamburguerias (21 do Porto e 37 da Grande Lisboa), têm à disposição o Menu Hellmann’s, que inclui um hambúrguer, preparado com uma receita exclusiva em cada espaço, e uma bebida. Digamos que são 10 euros muito bem empregues. Porque o estômago também merece! E porque era importante aliar o sabor à criatividade, de forma a gerar receitas que ficassem na memória, pelo menos do paladar, são muitas as inovações, o contraste de sabores, os segredos bem guardados e os ingredientes originais e imprevistos que se fundem deliciosamente com os tradicionais. Um deles é comum a todos e não podia faltar..."a verdadeira maionese". 

A convite da Hellmann's e da Media Consulting, fui experimentar 4 dos hambúrgueres que fazem parte da rota lisboeta. E que fim de tarde bem passado! No ponto de encontro, no B'Perfect Burgers, teve início a degustação com o B'Helmann's. É um hamburger com 150 gr de carne de vaca nacional, em pão de brioche, pouco doce e ligeiramente torrado, com cebola frita, rúcula, tomate e maionese de abacate, lima e hortelã. O contraste da cebola frita, meio adocicada, com a lima e a hortelã que temperam a maionese de abacate, resulta mesmo bem! 

DSC_0001 (2).JPG

 

 

Logo ali ao lado, na hamburgueria Entre Nós, demos continuidade à nossa mini-rota com a degustação do hambúrger Pigmann's. O nome deixa adivinhar que é feito com carne de porco e surpreende pela introdução de especiarias e ananás. A rúcula e cebola crocante também fazem parte desta receita. Tudo "embrulhado" em bolo de caco de açafrão. Se só a descrição já aguça o apetite, imaginem o sabor. 

DSC_0018 (2).JPG

 

Seguimos viagem para o próximo destino, em grande estilo, à "boleia" de um clássico "carocha", da Lisbon by Beetle. Era necessário dar tempo para a digestão, antes da próxima degustação, e um passeio por Lisboa, com os cabelos ao vento, veio mesmo a calhar...

DSC_0020 (3).JPG

DSC_0027 (2).JPG

 

 

Próxima paragem: Hamburgueria U-Try. O hambúrguer Grique Hellmann's é 100% de carne de vaca, servido com rúcula, cebola roxa, tomate, queijo feta e molho tártaro. Uma receita diferente, com o sabor inusitado do queijo feta, acaba por resultar numa harmoniosa experiência para o paladar. 

DSC_0037 (2).JPG

 

A nossa rota terminou no Bun's, Atelier do Burguer onde nos foi apresentado o hambúrguer Hellmann's, de frango, em bolo do caco de caril. A maionese, claro está, não podia faltar, e é feita de coentros. A surpresa vem com a introdução de caril de tomate e rúcula, que lhe confere um sabor diferente, intenso e muito delicioso. 

DSC_0066.JPG

 

Passatempo

 

Existe ainda a possibilidade de ganhar um almoço ou jantar para duas pessoas, no valor de 20€, o  equivalente a dois menus Hellmann’s.  E para concorrer é muito simples! Basta tirar uma fotografia numa das hamburguerias aderentes, onde esteja bem visível o logotipo do restaurante, e partilhá-la no Instagram utilizando a hashtag #rotadoshamburgueres. Todas as semanas, durante os meses de junho e julho, serão eleitas as 6 fotografias mais originais por um júri da Unilever Jerónimo Martins. Os vencedores serão premiados com um voucher, oferecido pela Hellmann’s e a Zomato, que poderá ser utilizado durante a 2ª edição da Rota dos Hambúrgueres Hellmann’s.

E não se esqueçam. Esta rota gastronómica inclui 58 hamburguerias. Se quiserem saber todos os detalhes dos espaços aderentes, bem como pormenores do Menu Hellmann's que cada hamburgueria criou, visitem o site da Hellmann's, da Zomato, ou então através da app Zomato. 

 

A Time Out associou-se também a este evento e elaborou um booklet, que foi ontem distribuído em conjunto com a revista, no Porto, e hoje, dia 1 de junho, com a de Lisboa. O booklet está igualmente à disposição, de forma gratuita, em todas as hamburguerias que fazem parte da rota.

DSC_0067 (2).JPG

 

Aqui fica o vídeo promocional desta "2ª edição da Rota dos Hambúrgueres HELLMANN’S". E bom apetite! 

 

 

 

 

 

                                                                     Agradecimentos

 

media-consulting.jpg  

 

 

2.png