Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a inês sabe disto

"Aviso importante" para os mais distraídos...

ikea-1376853_1280.jpg

A propósito do alerta divulgado pelo próprio IKEA para que os clientes que adquiriram uma placa de fogão, com defeito num dos bicos e que por isso mesmo pode revelar-se bastante perigoso, convém lembrar/informar os clientes mais distraídos que no site oficial da empresa sueca existe uma secção intitulada "Aviso Importante". É lá que a marca solicita aos seus clientes a devolução de alguns produtos que tenham sido alvo de reclamações, relacionadas com questões de segurança e/ou saúde para os seus utilizadores. Ainda que eles refiram, na mesma secção, que "A segurança dos produtos é uma prioridade máxima para a IKEA" e que "todos os nossos artigos são testados em conformidade com os padrões de segurança aplicáveis e de acordo com a legislação em vigor", trata-se de uma "medida de prevenção", sempre que se justifique. Nestes casos o reembolso é assegurado, sem que haja necessidade de apresentar o talão de compra. Para quem é cliente do Ikea, não custa dar uma espreitadela no site de vez em quando. Fica na página principal, no canto inferior, à direita, na secção "sala de imprensa", na categoria "Produtos retirados de venda". 

 

Um top que nos despe quando usamos o Google!

 

device001.jpg

Numa chamada de alerta para a frequência com que nos expomos cada vez mais ao mundo digital, em particular às informações que a toda a hora enviamos para plataformas como a Google, a artista Xuedi Chen, em colaboração com o brasileiro Pedro Oliveira, conceberam o top X.pose (no final deste post pode ver o vídeo descritivo do funcionamento desta tecnologia). Esta peça de vestuário foi criada a partir de um algoritmo, está conectada ao smartphone, e funciona como uma espécie de alarme. Ao abrirmos uma aplicação para saber o estado do tempo ou se fizermos uma simples pesquisa sobre determinado tema, estamos a divulgar informações tão pessoais como a nossa localização geográfica, por exemplo. Ao usar este top, e convenhamos que não deve ser nada prático, o sinal de alerta é dado de forma muito original. O top vai ficando transparente, em tempo real, à medida que utilizamos as ferramentas do mundo digital. Tratando-se de uma peça futurista, e tendo em conta a crescente dependência e consequente vulnerabilidade de quem passa a vida ligado à internet, é bem possível que o X.pose venha a ser comercializado no futuro. Para já, é importante encará-lo como isso mesmo, um alerta para o abuso excessivo da incursão no mundo digital. Bom domingo a todos!

detail001.jpg

production002.jpg

schem002.jpg

studio001.jpg

schem001.jpg

schem002 (1).jpg

 

 

 

 

 

Vinho do Porto...o segredo da longevidade?

Skärmavbild-2015-10-20-kl.-15.53.40-600x400.jpg

calment.jpg

 

A francesa Jeanne Louise Calment , que morreu em 1997 com 122 anos, afirmou por diversas vezes que o segredo da sua longevidade era bem simples e resumia-se a um lema de vida bem simples: "se não podes fazer nada, também não te preocupes com isso". Fora isso, fumava 2 cigarros por dia (e fê-lo durante 100 anos), bebia Vinho do Porto sempre que lhe tinha vontade e nunca praticou exercício físico. Ah... também fazia esporadicamente esfoliações corporais com azeite. Deixou o vício do tabaco 3 anos antes de morrer. Não por questões de saúde. Mas porque a sua fraca visão já não lhe permitia levar o cigarro à boca sem queimar os lábios. E é isto!

10 regras que desconhecia sobre sushi!

sushi-2541472_1280.jpg

Não digo que não a um bom sushi. Aliás, não digo que não a sushi. Ponto! O que eu não sabia, até há pouco tempo, é que existem regras que tornam a experiência de saborear o sushi muito mais agradável e proveitosa. E embora elas sejam cumpridas à risca no Japão, no Ocidente não é bem assim. Alguns chefs de cozinha japoneses entram em nossa defesa e asseguram que não nos devemos sentir intimidados por elas e, simplesmente, “usufruir do sushi”. Eu assino por baixo. Mas pelo sim, pelo não, deixo-vos algumas dicas que os mestres apontam como essenciais para melhor disfrutar desta iguaria japonesa. Pelo meio, também algumas regras de etiqueta...

 

A Ordem de Sabores

Para que possa ususfruir ao máximo de todos os sabores, os chefs aconselham que se comece pelos peixes de sabor menos intenso como o peixe-branco (1) ou o atum (2), seguindo para o salmão (3) ou ovas de salmão (4). Devemos deixar para o fim o sushi com sabores mais doces, com ovo, por exemplo. (5). De acordo com as regras de etiqueta, quando pedimos rolos de sushi menos elaborados (6), significa que temos intenção de terminar a refeição. 

1.jpg

 

Como usar os hashi (pauzinhos)?

Para início de conversa, no Japão é falta de respeito esfregar os hashi um no outro. O chef pode entender essa atitude como um recado do cliente para a má qualidade dos mesmos. E enquanto não terminamos a refeição, sempre que fizermos uma pausa o ideal é que os hashi sejam colocados como se vê na imagem 1 e 2. Só no fim é que devem ser "arrumados" como se vê na imagem 3, sem nunca ficarem cruzados. 

1.jpg

Comer com as mãos

Saiba que se for daquelas pessoas que ainda não está familiarizado com a técnica dos pauzinhos, pode perfeitamente comer à mão. Pelo menos no Japão ninguém vai levar a mal. Aliás, o sushi é tradicionalmente considerado uma fingerfood. Evite sempre o uso de talheres. No Japão a faca é considerada uma arma e usá-la nas refeições pode ser mal interpretado. Usar os hashi ou a mão é sinónimo de "refeição pacífica". 

sushimaos.jpg

 

 

Nunca molhar o arroz no molho de soja (shoyu)

Este é, talvez, o erro mais comum com que nos deparamos nos restaurantes japoneses. E existe naturalmente a explicação para esta regra: ao embebermos o arroz no molho de soja, além de existir a grande possibilidade do rolo ser destruído, o sabor irá ficar completamente alterado, muito mais salgado. Por isso, é aconselhável que se molhe apenas uma parte do peixe. Caso o formato do rolo não permita fazer esta "manobra", é costume molhar um pedaço de gengibre na soja e usá-lo para pincelar a peça de sushi. 

3.jpg

 

 

 

Proibido dar dentadas. Mas há excepções...

O sushi deve ser comido inteiro e, quase sempre, os chefs preparam as peças com o tamanho ideal para que possam ser ingeridas de uma vez só. Porém, existem excepções. É o caso do temaki e do futomaki. De dimensões maiores, podem (e devem!) ser comidos com as mãos e em várias dentadas. Porém, nunca devem regressar ao prato, devendo permanecer na mão até que sejam totalmente ingeridos. 

temaki.jpg

Sejamos razoáveis na quantidade de wasabi

E eu confesso que este é o meu ponto fraco. À semelhança do molho de soja, também não devemos exagerar na quantidade de wasabi pelo mesmo motivo...deturpa o sabor! A regra diz que a quantidade ideal deste picante é a que vem para a mesa, e é decidida pelo chef. Eu cá peço sempre doses reforçadas desta pasta verde :). Alguns mestres da cozinha japonesa defendem mesmo que o wasabi deve ser colocado directamente na peça de sushi ou sashimi e não dissolvido no molho de soja, como habitualmente fazemos. Além da função digestiva, o wasabi é também um eficaz desinfectante do peixe. 

 

wasabi.jpg

 

 

 

Para que serve o gengibre

O gengibre é para ser comido antes do sushi e de vez em quando durante a refeição. Porque limpa a boca e abre o paladar para os novos sabores que vamos experimentando. Quase sempre a quantidade de gengibre que é disposta na mesa, no início, é considerada suficiente pelo chef. 

gengibre.jpg

 

4 peças? Nunca!

Os japoneses nunca pedem quatro peças de sushi, sashimi ou seja do que for. Para eles o número 4 é sinónimo de azar pois é escrito e pronunciado da mesma maneira que a palavra morte (shi). 

4.jpg

 

 

Não sirva sake a si mesmo

No Japão esta regra é sagrada. Se optarmos por beber sake num restaurante japonês, nunca devemos encher o nosso próprio copo, pois é considerada falta de educação. Essa função cabe a quem está ao nosso lado/frente. Enquanto estamos a ser servidos, devemos segurar no copo ao alto, com a mão direita, apoiado na base pela mão esquerda. 

sake1.jpg

 

 

Não brinde com "chin chin"

"Kanpai " (tradução: esvaziar a chávena) é o brinde tradicional japonês. Se viajarmos até ao Japão e nos ocorrer dizer "chin chin ", é provável que passemos a ser o centro das atenções, mas pelos piores motivos. É que essa expressão refere-se a uma parte mais íntima dos homens. Fica o aviso!

 

kanpai.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Partir nozes numa dobradiça? Isso é para meninos...

walnuts-2312506_960_720.jpg

 

Provavelmente já conhecem esta técnica mas eu, que ando sempre a leste destes truques caseiros, fiquei verdadeiramente impressionada, diria mesmo incrédula. Há tempos fizeram isto à minha frente e eu achei imediatamente que a pessoa seria de Marte ou dotada de algum poder especial. Como é possível partir uma noz só com uma pancadinha no indicador? Experimentei em casa e decidi registar o momento para que não restassem dúvidas. Por isso já sabem, partir nozes nas dobradiças das portas ou até mesmo com utensílios próprios para o efeito, está completamente fora de moda. Aventurem-se e usem o dedo indicador. Além de mais emocionante e corajoso, sempre podemos impressionar quem está à nossa volta. Aqui fica a minha experiência...