Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se a Inês Sabe Disto

Se a Inês Sabe Disto

10 de Novembro, 2022

O que é que a Ericeira tem?

Patrícia Teixeira

 

ericeira.jpg

Foto: @angelo_m_andre (Instagram)

 

Puxo pela cabeça e não me ocorre nenhum argumento com força suficiente para fazer-me deixar um dia a Ericeira. Por cá ando desde 1977 e são tantos os argumentos que me prendem de livre vontade a esta vila que precisaria de horas para enumerá-los de fio a pavio. Quando me perguntam qual é afinal o grande encanto desta vila, por muito que evite clichês a todo o custo, só me ocorre socorrer-me da frase de Roger Stankewski sobre o Amor "Não se explica, não se resume (...) apenas se sente". 

Numa tentativa, mesmo que corra o risco de ser falhada, transportem-se para uma pequena vila piscatória onde há mar por todo o lado. Devem ser poucos os cantos e recantos onde não se veja este azul tão singular que até deu origem, em tempos, a uma canção de Gabriel Cardoso que viralizou a expressão "Ericeira, onde o mar é mais Azul" que podem ouvir aqui. A energia ou, modernizando o vocabulário, a boa vibe que aqui paira é facilmente justificada pelas inúmeras pessoas que logo ao nascer do dia percorrem o passadiço que contorna a vila fazendo caminhadas, corrida, jovens que se aventuram no skate, surfistas que correm em direcção a uma das muitas praias que nos consagraram "Reserva Mundial de Surf" no dia 14 de Outubro de 2011. Em suma, amanhacemos com este saudável cenário e isso é quanto basta para que comece bem o dia. 

A Ericeira é um mundo de histórias, património e tradição por descobrir. Apesar do turismo ter crescido bastante na última década, o que "sobrecarrega" as praias no verão, aumenta consideravelmente o trânsito e a dificuldade em estacionar ou até arranjar uma mesa para almoçar ou jantar no centro da vila ,a verdade é que mesmo com todos esses obstáculos perfeitamente contornáveis com uma pequena dose de boa-vontade, o encanto não permanece igual ao de antigamente mas quase...!

Na Ericeira sinto que estou em permanente colisão com o sol e o mar. É aqui que acerto os ponteiros para a abstração dos dias corridos e a correr. Há sol, mar, oxigénio do bom, recantos intocados, sorrisos grandes e um charme nativo que ninguém nos tira. Venha quem vier!

PS: Todas as semanas irei destacar um recanto, um negócio ou alguém da Ericeira. Fiquem atentos!

 

13 comentários

Comentar post