Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se a inês sabe disto

Histórico

Kim Jong-un defende que desnuclearização depende do fim do antagonismo

 

Pode durar pouco tempo, que os protagonistas não são muito de levar a sério, mas o acordo a que chegaram ontem a Coreia do Norte e os Estados Unidos da América, pode ser o balão de oxigénio para aqueles que vêm lutando contra o escalar da violência armada.

Completa desnuclearização da península coreana, a troca de prisioneiros e relações que promovam a paz  e a prosperidade não só na península coreana como no mundo.  Este é o resumo do acordo. Pode parecer simples, contudo por vezes as coisas mais simples, desbloqueiam os imbróglios mais compelxos. E esta era uma bota muito difícil de descalçar, por tudo, mas principalmente pela intransigência de ambas as partes. Escrevi aqui há tempos que o objectivo de Kim era esticar a corda até obter o que efectivamente pretendia. Parece ter conseguido, a ver pelo texto que transcrevo a seguir, a versão final do acordo:

"O Presidente Donald Trump dos Estados Unidos da América e o Chairman Kim Jong Un da Comissão de Assuntos de Estado da República Popular Democrática da Coreia do Norte (DPRK) conduziram a primeira e histórica cimeira em Singapura a 12 de junho de 2018.

O Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un conduziram uma troca de opiniões abrangente, profunda e sincera sobre temas relacionados com o estabelecimento de novas relações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e a construção de uma paz duradoura e robusta na península coreana. O Presidente Trump comprometeu-se a dar garantias de segurança à Coreia do Norte, e o Chairman Kim Jong Un reafirmou o seu compromisso inabalável para a completa desnuclearização da península coreana.

Crentes de que o estabelecimento de novas relações EUA-DPRK vai contribuir para a paz e prosperidade da península coreana, o Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un declaram o seguinte:

1. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte comprometem-se a estabelecer novas relações EUA-DPRK de acordo com os desejos do povo dos dois países para a paz e prosperidade.

2. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte vão unir esforços para construir um regime de paz duradouro e estável na península coreana.

3. Reafirmando a declaração de Panmunjom 2018, de 27 de abril, a Coreia do Norte compromete-se a trabalhar no sentido da completa desnuclearização da península coreana. 

4. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte comprometem-se a recuperar os prisioneiros de guerra e soldados desaparecidos, incluindo a repatriação daqueles já identificados.

Tendo reconhecido que a cimeira EUA-DPRK — a primeira na história — foi um evento histórico de grande significado para ultrapassar décadas de tensão e hostilidade entre os dois países e para o início de um novo futuro, o Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un comprometem-se a implementar o estipulado nesta declaração conjunta de forma total e eficiente. Os estados Unidos e a DPRK comprometem-se a continuar as negociações, lideradas pelo secretário de Estado Mike Pompeo e um oficial de alto escalão da DPRK, o mais brevemente possível, para implementar o acordado na cimeira EUA-DPRK. 

O Presidente Donald J. Trump dos Estados Unidos da América e o Chairman Kim Jong Un da Comissão de Assuntos de Estado da República Popular Democrática da Coreia do Norte comprometem-se a cooperar para o desenvolvimento de novas relações EUA-DPRK para a promoção da paz, prosperidade e segurança da península coreana e do mundo.

Junho 12, 2018

Ilha de Sentosa

Singapura"

O sublinhado é meu e parece-me a questão mais importante saída desta cimeira, após mais de 70 anos de costas voltadas, na sequência da guerra da Coreia.

Agora e durante a príxima dezena de anos, provavelmente (desejavelmente direi eu) viver-se-á um clima de paz na região. O que se deseja é que seja extensível a outras zonas do globo.