Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a inês sabe disto

Histórico

Kim Jong-un defende que desnuclearização depende do fim do antagonismo

 

Pode durar pouco tempo, que os protagonistas não são muito de levar a sério, mas o acordo a que chegaram ontem a Coreia do Norte e os Estados Unidos da América, pode ser o balão de oxigénio para aqueles que vêm lutando contra o escalar da violência armada.

Completa desnuclearização da península coreana, a troca de prisioneiros e relações que promovam a paz  e a prosperidade não só na península coreana como no mundo.  Este é o resumo do acordo. Pode parecer simples, contudo por vezes as coisas mais simples, desbloqueiam os imbróglios mais compelxos. E esta era uma bota muito difícil de descalçar, por tudo, mas principalmente pela intransigência de ambas as partes. Escrevi aqui há tempos que o objectivo de Kim era esticar a corda até obter o que efectivamente pretendia. Parece ter conseguido, a ver pelo texto que transcrevo a seguir, a versão final do acordo:

"O Presidente Donald Trump dos Estados Unidos da América e o Chairman Kim Jong Un da Comissão de Assuntos de Estado da República Popular Democrática da Coreia do Norte (DPRK) conduziram a primeira e histórica cimeira em Singapura a 12 de junho de 2018.

O Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un conduziram uma troca de opiniões abrangente, profunda e sincera sobre temas relacionados com o estabelecimento de novas relações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e a construção de uma paz duradoura e robusta na península coreana. O Presidente Trump comprometeu-se a dar garantias de segurança à Coreia do Norte, e o Chairman Kim Jong Un reafirmou o seu compromisso inabalável para a completa desnuclearização da península coreana.

Crentes de que o estabelecimento de novas relações EUA-DPRK vai contribuir para a paz e prosperidade da península coreana, o Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un declaram o seguinte:

1. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte comprometem-se a estabelecer novas relações EUA-DPRK de acordo com os desejos do povo dos dois países para a paz e prosperidade.

2. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte vão unir esforços para construir um regime de paz duradouro e estável na península coreana.

3. Reafirmando a declaração de Panmunjom 2018, de 27 de abril, a Coreia do Norte compromete-se a trabalhar no sentido da completa desnuclearização da península coreana. 

4. Os Estados Unidos e a Coreia do Norte comprometem-se a recuperar os prisioneiros de guerra e soldados desaparecidos, incluindo a repatriação daqueles já identificados.

Tendo reconhecido que a cimeira EUA-DPRK — a primeira na história — foi um evento histórico de grande significado para ultrapassar décadas de tensão e hostilidade entre os dois países e para o início de um novo futuro, o Presidente Trump e o Chairman Kim Jong Un comprometem-se a implementar o estipulado nesta declaração conjunta de forma total e eficiente. Os estados Unidos e a DPRK comprometem-se a continuar as negociações, lideradas pelo secretário de Estado Mike Pompeo e um oficial de alto escalão da DPRK, o mais brevemente possível, para implementar o acordado na cimeira EUA-DPRK. 

O Presidente Donald J. Trump dos Estados Unidos da América e o Chairman Kim Jong Un da Comissão de Assuntos de Estado da República Popular Democrática da Coreia do Norte comprometem-se a cooperar para o desenvolvimento de novas relações EUA-DPRK para a promoção da paz, prosperidade e segurança da península coreana e do mundo.

Junho 12, 2018

Ilha de Sentosa

Singapura"

O sublinhado é meu e parece-me a questão mais importante saída desta cimeira, após mais de 70 anos de costas voltadas, na sequência da guerra da Coreia.

Agora e durante a príxima dezena de anos, provavelmente (desejavelmente direi eu) viver-se-á um clima de paz na região. O que se deseja é que seja extensível a outras zonas do globo.

Caracoles!

caracol.jpg

 

 

Bom, se continua sem absolutamente nada para fazer no fim de semana de 8 a 10 de Junho e não quer ou não pode aproveitar a sugestão de sushi e arinto, que tal uma voltinha até Tomar e saborear uns caracóis, confeccionados das mais diversas maneiras e feitios? Vá, que não se arrependerá. Aproveite e visite os locais históricos e os aprazíveis, que os há por ali e bem bonitos e para descansar, ao final do dia, deguste uns gastrópodes, na Associação os 4 Unidos, em S. Miguel, Madalena.

Este vosso amigo é um dos elementos da competente equipa que estará à sua disposição, para que saia da sala com o rei na barriga.

Uma última sugestão: Tal como os caracóis, não tenha pressa, vá devagar.

 

 

Nota: A foto é da Sónia Gaspar, obtida com o telefone, foi o que se pôde arranjar, mas foi com imensa vontade.

Sabores saloios

Sem Título.png

 

 

Não tem nada para fazer no fim de semana de 8 a 10 de Junho?


Então nos dias 8, 9 e 10 de junho, o Arinto & Sabores Saloios vão estar em destaque no Museu do Vinho e da Vinha, em Bucelas.

Mostra de vinhos, provas comentadas, degustação de produtos locais e sushi japonga, animação de rua, conversas sobre o vinho, visitas ao Museu, música e muitas outras atividades esperam por si num fim de semana dedicado ao vinho arinto e aos sabores saloios.

Vá desfrutar de um espaço agradável onde a cultura, a animação e a gastronomia se associam ao melhor vinho da região demarcada de Bucelas.

A entrada é livre.

 

Pode consultar todo o vasto programa aqui.

 

Uma iniciativa gira que se farta!

nuno nobre.jpg

As regras: com base no jogo de cartas popular da bisca, deram-se 3 tachos a 3 amigos que se encontraram numa das esquinas do bairro da Mouraria em Lisboa. Juntos, à mesa, criaram o Bisca dos 3um novo pop up gastronómico que celebra a cozinha tradicional portuguesa. São eles: Nuno Nobre, consultor e gastrónomo, e os chefes de cozinha, Luís Rodrigues e Vasco Lello. Em comum: a paixão pela gastronomia.

O jogo: unindo as experiências de cada um, o Bisca dos 3 parte de uma pesquisa sobre a história da culinária portuguesa, identificação de receituário tradicional e criação de menus inspirados em momentos gastronómicos que marcaram épocas e mesas de figuras ilustres (escritores e outras figuras públicas).

As coordenadas: nos dias 7, 8, 9, 10 e 12 de junho, a partir das 19h, (dias 7 e 10 até às 23h, 8 e 9 até às 2h e dia 12 até às 4h) o Bisca dos 3 instala-se no arraial da Associação Renovar a Mouraria situado no Largo da Rosa em Lisboa. Para celebrar os Santos, os 3 baralham ingredientes, provam com o dedo à mestre cozinheiro e misturam os seus trunfos para temperar o seu conceito de cozinha tradicional portuguesa.

Primeira partida: o Bisca dos 3 apresenta-se pela primeira vez ao público no coração de Lisboa em parceria com o 11.º arraial da Associação Renovar a Mouraria, um conceito que integra solidariedade, lazer, cultura e gastronomia. Nesta festa há lugar para todos, desde os locais que saem à rua para festejar o Santo António aos turistas que procuram uma experiência autêntica em Lisboa com muita música, dança, comida, bebida e diversão.

A carta: na Mouraria vão desfilar tremoços, uma trifana de porco com cachaço, barriga e bacon, a sandes mística de queijo e presunto de vaca, meia desfeita de bacalhau assado na brasa, passarinhos fritos, sandes de frango à Bairrada ou uma punheta de bacalhau. O “tacho do dia" vai cheirar a caracóis, moelas, pipis, mão de vaca ou sopa da pedra – «logo se vê o que nos apetecer no momento», afirmam os 3 da bisca airada. Para sobremesa, o cheirinho com a mousse de chocolate. Nas bebidas, a cerveja, vinhos e 2 cocktails de autor: o Bisca-Lambida (com Ginja) e o BagaSour (com bagaceira nacional).

Mais Bisca: definido que está o primeiro “torneio” de Bisca dos 3, estão previstos muitos mais. Em qualquer lugar ou evento que faça sentido cozinhar e partilhar sabores portugueses de sempre o Bisca dos 3 lá estará... Vai a jogo?

Este ano choveu

Imagem relacionada

Este ano, em 25, choveu pela primeira vez. No Sábado e no Domingo, El Rocío foi atingido por duas

violentas tempestades. No Sábado desfrutámos da praia, em Matalascañas, que dista cerca de 15 Km,

e sentimos apenas um pingos ralos pela noite.

A de Domingo sentimo-la na pele, tínhamos acabado de chegar por volta da hora de almoço.

E se caiu...

Como pode ver-se, as ruas não são asfaltadas, são de areia, todas, daí o mar de lama nalgumas

delas. Desta vez os milhares de pares de botas de cabedal que eles e elas usam, tiveram utilidade.

 

Salto de la Reja en imágenes

Estes moços estiveram de "plantão" naquele local mais de seis horas antes deste acto, o "assalto" 

ao altar, que aconteceu por volta das duas e meia da manhã (2.34 para ser mais preciso).

Diz a tradição que a virgem sairá do altar, após conclusão da leitura do rosário, mas diz também a

tradição que o entusiasmo raramente permite que a leitura do rosário chegue ao fim.

Este ano não foi excepção, quase uma hora antes do que havia acontecido no ano passado.

 

Salto de la Reja en imágenes

O Andor é transportado por quarenta homens, jovens na sua maioria, por todo o pueblo, por horas.

Aqui o início da procissão, ainda no interior do santuário.

 

Salto de la Reja en imágenes

Ainda a "luta" por um lugar de honra no transporte do andor.

 

Las imágenes de la procesión de la Virgen del Rocío por la aldea en el Lunes de Pentecostés

Como se pode ver, as condições de transporte não são as mais seguras. A procissão dura horas,

percorrendo todas as ruas da aldeia. Este ano, porque ameaçava chuva na segunda, ontem, a

procissão durou apeas até às onze e meia da manhã, mais de oito horas e meia, portanto.

 

Las imágenes de la procesión de la Virgen del Rocío por la aldea en el Lunes de Pentecostés

Como pode ver-se, o céu estava carregado.

 

Eu não sou destas coisas da igreja, não me dizem nada, mas aprecio a devoção. Como por vezes

digo, até gostava de acreditar, sempre poderia ter um conforto para algumas situações menos boas

com que a vida me vai presenteando, mas a realidade é que não sou crente.

Mas esta festa, como já disse, tem um misto de Fátima com a Feira da Golegã, mas em bom!

Nada de lamúrias, nada de choros e trajectos percorridos de joelhos. Festa, confraternização, copos,

música andaluza, sevilhanhas, flamenco e muita alegria.

Há quem ali acorra pela fé e pela devoção à virgem, a maioria certamente, mas também há a feira

das vaidades, os coches, os fatos delas e os fatos deles e os cavalos delas e deles e a carroças

e as charretes e é esta mistura de conceitos que dá o colorido à romaria.

Mais uma vez adorámos e voltaremos para o ano, certamente.

Para uma cañas, um jamon ibérico, uns bocadillos, umas cañas (já tinha falado de cañas?) e uma

praia, que recomendo.

Se por acaso forem de auto-caravana, mesmo lá ao fundo, em Matalascañas, há um bom parque,

a vinte metros da praia, com água potável disponível e uns belos bares de apoio.

Em resumo, uma bela escapada ao "faroeste"