Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a inês sabe disto

Tomar vai atribuir 28 hortas municipais

 

Hortas Municipais - Tomar 1@CMT.jpg

Município de Tomar acaba de abrir um concurso para a atribuição de 28 talhões nas Hortas Municipais. Este programa, que dá prioridade às famílias numerosas e aos munícipes desempregados, tem como principais objectivos a promoção da atividade agrícola em meio urbano, a promoção de uma alimentação saudável através do fomento da horticultura biológica, a promoção de laços de vizinhança e integração social valorizando quer o espírito comunitário quer ainda a vertente de apoio social.

Sendo assim, até ao dia 2 de Fevereiro, podem candidatar-se a um talhão todas as pessoas singulares, escolas ou instituições/associações de interesse público, sem fins lucrativos, com residência ou estabelecidas no concelho. Os talhões serão atribuídos, por ordem decrescente de importância: ao candidato com maior número de pessoas no agregado familiar, ao candidato desempregado e, por fim, ao candidato reformado.

O espaço das Hortas Municipais é composto por 64 talhões, com áreas compreendidas entre os 60 e 75 m2, num terreno com excelentes condições agrícolas, na margem do rio Nabão. O acordo de utilização das hortas tem a duração de um ano, renovando-se automaticamente até ao limite de três anos. Este projecto municipal teve início no anterior mandato, existindo já alguns talhões cultivados. O programa visa ainda a valorização dos recursos biofísicos e a práctica de um modelo de agricultura biológica sustentável, a promoção da compostagem e a redução de resíduos, com a recuperação de técnicas e meios de cultivo, a criação de um meio suplementar de apoio a famílias carenciadas.

Hortas Municipais - Tomar 2@CMT.jpg

 

Tomar promove mostra gastronómica dedicada ao feijão

 

Todos com o Feijão, o Feijão com Todos_ Tomar -

 

 

O feijão é rei e senhor durante um mês inteiro, em Tomar. De 1 a 31 de outubro, a mostra gastronómica “Todos com o Feijão, o Feijão com Todos” dá a provar refeições completas confecionadas à base desta leguminosa. Vinte restaurantes locais prepararam menus especiais que confirmam a versatilidade do feijão. À mesa vão chegar entradas, sopas, pratos principais e até sobremesas com feijão. Para início de refeição, podem saborear-se peixinhos da horta, mexilhoada de feijão, paté de feijão, feijoada de caracóis ou feijão com barriga de porco. Seguem-se as sopas: de feijão com couve, com enchidos, de feijão seco, de feijão branco, de feijão verde, da avó ou da pedra, entre outras.

feijao Tomar 3.JPG

No prato principal a oferta é ainda mais variada. Desde as feijoadas – à moda da casa, à transmontana, à portuguesa, de leitão, de polvo, de chocos, com camarão – a iguarias tão diversas como: enguias fritas com arroz de feijão, pataniscas de bacalhau com arroz de feijão, entrecosto com migas e feijão, bacalhau grelhado na brasa com feijão e abóbora, açorda de feijoca com magusto de carnes vermelhas, tripas grelhadas com migas de feijão. E isto é apenas uma amostra daquilo que será possível degustar!

feijao Tomar 2.JPG

 

feijao Tomar 4.JPG

Chega-se ao final da refeição e às tão desejadas sobremesas. De feijão, claro! Dificilmente se resiste ao bolo de feijão com fruta, à delícia de feijão com abóbora, ao pudim de feijão, ao semifrio de feijão, à tarte de feijão com nozes, aos pastéis de feijão, à laranjada de feijão ou ao doce de Santa Iria.

feijao Tomar 1.JPG

Este certame, que se realiza pelo 16.º ano consecutivo, é uma iniciativa do Município de Tomar, em parceria com os restaurantes do concelho. “Todos com o Feijão, o Feijão com Todos” acontece aos fins de semana, no feriado de 5 de outubro, e ainda no dia 20, no qual a cidade celebra a sua padroeira, Santa Iria.

Restaurantes aderentes:

Almourol, Alpendre, Central Tapas Café, Chico Elias, Convento do Leitão, Hotel Estalagem de Santa Iria, Ginginha, Infante, Lúria, Marisqueira de Tomar, Mister Grill, Moinhos, Nabão, Ninho do Falcão, Picadeiro, Pica-Pau Amarelo, Restaurante 1.º de Maio, S. Lourenço, Tabernáculo e Tabuleiro. 

 

Festival do Marisco

festival do marisco.jpg

 

Texto de Edmundo Gonçalves

20478557_ZDt5E.jpeg

Para quem conhece, o primeiro festival do marisco nasceu em Olhão, vai para trinta e dois anos (assim de memória) e terá lugar aqui mesmo ao pé, de 10 a 15 de Agosto, já depois de amanhã, portanto. Para quem conhece, como disse, é um evento excelente, com uma oferta de muita qualidade em variados pratos de marisco e derivados e também do ponto de vista do divertimento, com a actuação de vários artistas, alguns deles consagrados, no panorama nacional.

Mas não é deste festival do marisco que vos quero falar e para o qual quero chamar a atenção, principalmente aos meus leitores  (perdoem a imodéstia e a prosápia de considerar que tenho um número "de jeito" de pessoas que prestam alguma atenção ao que vou publicando) de Tomar, meus patrícios e conterrâneos. Este festival do marisco, o primeiro, vai realizar-se em São Miguel, Madalena, a cinco minutos da cidade, na Associação Recreativa e Cultural Os Quatro Unidos, já nos próximos dias 19 e 20 de Agosto, conforme podem constatar no programa que vos informa de tudo o que devem saber.

Bom, de tudo não, que não vos diz que na cozinha vão estar este vosso amigo e a sua parceira de sempre, a minha mulher, para vos proporcionar a degustação que os palatos de vossas excelências sem dúvida merecerão.

Vão lá. No Sábado de preferência, que como é a primeira edição as "cascas" provavelmente serão o primeiro pitéu a ir e depois não poderão testemunhar o quão saborosas estavam as ameijoas à Bulhão Pato, os berbigões ao natural, ou a bela da cataplana... Porque os camarões, esses nunca acabam! Apareçam e dêem notícia de que lá estão. Por mim será um gosto imenso rever alguns amigos de infância.

O Zé das bananas

 

abaco.png

Texto de Edmundo Gonçalves

20478557_ZDt5E.jpeg

Foi meu professor de matemática no liceu. O pai negociava em bananas, morava ali perto do parque de campismo, perto da Horta do Barão, salvo erro, mas já perceberam que a minha memória às vezes me atraiçoa…

Era um personagem. Afável, sempre bem disposto, sabia ensinar de forma simples mas eficaz e sempre com uma estória para contar e uma analogia com qualquer situação que se deparasse no momento. Mudou-se para Tomar para ensinar devido a doença do pai, se a memória me não atraiçoa. Para nós, miúdos, era com alguma surpresa que ouvíamos um “setôr” falar com um total à vontade do seu pai, da sua actividade e mais, com muito orgulho. Os olhos luziam-lhe quando dizia “eu sou filho do Zé das bananas”. E quando algum de nós o questionava, porque no nosso imaginário um professor e ainda p’ra mais de matemática, tinha que ter raízes “aristocráticas”, se o pai tinha mesmo um armazém de bananas, ele respondia invariavelmente “ atão vocês não vêm pela minha barriga que eu só como bananas desde pequeno, o meu pai tem um armazém de bananas, o que é que querem?” E para mal dos seus pecados tinha que acumular com o ensino o armazém de bananas.

Não era difícil ouvi-lo também desabafar: “Isto é que é uma porra, agora tenho que tomar conta da chafarica. Qualquer dia deixo “mazé” o ensino e dedico-me às bananas, não consigo dar conta disto tudo. Vocês na imaginam a dor de cabeça c’aquilo dá, é pááááá…” Confesso que não tenho memória se terá cumprido a “ameaça”, mas que estava verdadeiramente determinado, disso não tenho a menor dúvida. Se souberem “apitem”, que gostaria de saber…

Uma memória muito agradável de um ser humano extraordinário.

Chapeux, também para ele.

Tomar regressa à Idade Média

image002 (1).png

E como este blog tem sido muito acarinhado pelas pessoas de Tomar, graças às memórias que o Edmundo Gonçalves aqui tem partilhado a respeito desta cidade, é com todo o gosto também que vamos divulgando os eventos que por lá acontecem.

Desta vez Tomar volta a ser um burgo medieval e é já de 6 a 9 de Julho. Durante quatro dias a cidade recebe a Festa Templária. Uma viagem histórica cujos protagonistas serão cavaleiros, mercadores, artesãos, saltimbancos, músicos, malabaristas, cuspidores de fogo, entre outras personagens da Idade Média. A atracção principal passa pela recriação do cerco ao Castelo, que ocorreu em 1190. Nesse ano, a 13 de Julho, 900 guerreiros árabes sob o comando do rei de Marrocos, Almançor, cercaram o Castelo Templário. Durante seis dias fizeram várias tentativas para conquistá-lo. Mas lá dentro 200 cavaleiros templários, liderados por Gualdim Pais, travaram o ataque dos muçulmanos tornando este um marco histórico da cidade.

Haverá então um cortejo nocturno que reúne, não só as várias personagens históricas, como as recriações do acampamento templário, o treino dos homens de armas, as danças medievais, a feira de artesanato alusivo à época, o festival de gastronomia medieval nos restaurantes locais, os petiscos nas tasquinhas, os jogos medievais, entre muitas outras actividades que devolvem Tomar ao século XII.

O programa cultural da festa inclui ainda a conferência “Templários – das origens ao terminus”, que terá lugar no Scriptorium do Convento de Cristo, no dia 6 de Julho. Na sexta-feira, 7 de julho, o refeitório dos Frades do Convento de Cristo será o palco de um Jantar Real, com ementa e animação medieval. A Festa Templária, que tem lugar em várias zonas da cidade, do Mouchão Parque ao Convento de Cristo, passando pelo centro histórico, pretende recordar o passado mantendo viva a influência da Ordem de Cristo, sucessora da Ordem Templária.

 

Programa

6 de julho | quinta-feira 

10h00 - 17h00 – Conferência “Templários – das origens ao términus” 

18h00 – Abertura Oficial da Festa Templária 2017: Cerimónia na Praça da República e Cortejo de Abertura da festa pelo centro histórico e Mouchão Parque

18h00 - 24h00 – Feira de Artesanato e Tasquinhas 

19h00 - 23h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes 

23h00 – Recriação do cerco do Castelo Templário - Mata dos Sete Montes

 

7 de julho | sexta-feira 

18h00 – 24h00 - Feira de Artesanato e Tasquinhas (abertas até às 2h00)

19h00 - 23h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes 

20h00 – Jantar Real no Convento de Cristo 

23h00 – Recriação do cerco do Castelo Templário - Mata dos Sete Montes

 

8 de julho | sábado 

12h00 - 24h00 - Feira de Artesanato e Tasquinhas (abertas até às 2h00)

10h00 – Visitas Culturais 

12h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes 

22h00 – Cortejo Noturno

 

9 de julho | domingo 

10h00 – Visitas Culturais 

12h00 - 23h00 – Feira de Artesanato e Tasquinhas 

12h00 - 15h00 / 19h00 - 23h00 – Festival de Cozinha Medieval nos restaurantes aderentes

18h00 - Render da guarda

 

Todos os dias:

Acampamento Templário, personagens históricas, danças medievais, treino dos Homens de Armas, cenas da vida na Taberna e jogos medievais no Mouchão Parque.

Recriações no Centro Histórico (danças medievais e ofícios).

Patrícia Teixeira

Edmundo Gonçalves

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens