Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Se a inês sabe disto

Um banho que nos desintoxica da rede wi-fi?

Digital_Detox_Bath_6-17-15_04_1024x1024.jpg

Parece que não restam dúvidas de que a exposição prolongada à rede wi-fi pode trazer complicações ao organismo. Foi a pensar nisso que a Pursoma, uma marca americana de produtos de beleza e bem-estar, criou um produto, que já circula há algum tempo no mercado e que é, no mínimo, curioso. Chama-se Digital Detox Bath e é para ser usado durante um banho de imersão. Combina sais marinhos com argila e faz com que o corpo transpire, ao mesmo tempo que desintoxica os poros. A marca anuncia que esta solução é infalível para quem se sente cansado, stressado e, principalmente, para quem sofreu uma exposição demasiado prolongada à rede wi-fi. Eu acrescento que este produto é também ideal para quem não se importa de gastar 30 euros em cada banho "milagroso". Pois é amigos...é esse o preço de cada pacote, que serve apenas para uma utilização. Até onde sei ainda não existe uma loja que o comercialize em Portugal, mas sempre temos a possibilidade de encomendá-lo através de alguns sites com os quais a marca tem parceria. Mais detalhes aqui

 

Porque um amigo tem direitos!

Dando continuidade ao lema "Leva a Amizade a Sério", a Super Bock acabou de lançar uma campanha onde é sugerido que seja criado um conjunto de "direitos dos amigos".Todos podem participar activamente nesta iniciativa através do site, enviando sugestões de um direito que achamos que deve ser concedido aos amigos. Exemplo: "um amigo tem direito a estar duas horas por semana com outros amigos sem que possa sofrer represálias" ou "um amigo tem direito a tratar outro amigo pela alcunha de infância durante toda a vida”. Estas são duas das muitas frases já publicadas no site. O filme promocional da campanha estará presente em todos os canais generalistas e por cabo, em outdoors espalhados pelo país e, naturalmente, em rótulos temporários das garrafas de Super Bock

 

 

 

 

Um filme de terror chamado "desactivei temporariamente o meu perfil do facebook"

 

help.jpg

 

 

Um dia acordei e decidi cancelar a minha conta do facebook. Estava realmente saturada da informação desnecessária com que era bombardeada todos os dias, não mencionando a quantidade de fotos que eu escusava de ter visto. Não tenho nada contra as panquecas que a Maria faz ao pequeno-almoço mas, muito honestamente, a não ser que a receita viesse incluída no post ou que eu tivesse sido convidada para prová-las, o que é que aquilo me interessa? Enfim, como não estava com tempo nem paciência para fazer uma triagem das amizades virtuais, enchi-me de coragem e decidi bloquear esta rede social da minha vida!

Preparada para enfrentar os mais variados olhares e comentários esquizofrénicos (bem como alguma exclusão social), lá entrei no facebook pela "suposta" última vez (já com uma certa nostalgia, claro). Segui as indicações para que a conta fosse eliminada e, a poucos segundos de reconquistar a liberdade, começa o filme de terror. Sou confrontada com a pergunta que eu temia :"Isto é temporário?". Naquele momento passou-me tudo pela cabeça : "E se um dia preciso de entrar em contacto com a pessoa X? Não devo precisar, até porque se ela fosse importante na minha vida eu já teria o nº de telefone. Mas mesmo não tendo o nº de telemóvel da Sara, sempre achei piada aos bolos que ela faz com as figuras da Disney. E se um dia  a minha sobrinha faz uma birra porque quer um bolo com os Três Metralhas?". E pronto, temendo um futuro cheio de problemas circunstanciais deste tipo, lá respondi que sim, que era uma decisão temporária. Missão cumprida! Espalhei aos sete ventos, inchada de orgulho, que já não tinha facebook. Um dia, com aquele ar de "não percebes mesmo nada disto", uma amiga disse-me: "Olha que não cancelaste isso como deve ser. É que ainda hoje entrei no teu perfil e estava tudo normal". "Impossível", respondi eu com o mesmo ar de "não percebes mesmo nada disto", mas duplamente mais intenso que o dela. Perante a minha incredibilidade e, confesso, uma expressão facial de terror, ela sacou o telemóvel da mala, abriu o facebook e lá estava eu!

Moral da história: o facebook é querido, democrático e aceita as decisões das pessoas. Mas ao fim de 7 dias, sem que tenhamos de fazer absolutamente nada para isso, ele ressuscita sozinho! Pois, é verdade! E se mantivermos a decisão de continuar longe desta rede social, somos obrigados a fazer tudo outra vez. E sempre a mesma pergunta: "Isto é temporário?". Mais ou menos como nas audiências de divórcio...

Vou ali beber uma selfie e já volto!

Pois é amigos! Isto de andar sempre atrasada em relação às novidades tecnológicas dá nisto. Então não é que ontem à noite descobri que existe uma máquina de café, que dá pelo nome de Ripple Maker e que, imaginem, publica as nossas selfies em bebidas feitas à base de café com leite. Só precisamos de ter uma aplicação instalada no smartphone e enviar a foto para a memória da máquina através da rede wi-fi. Em menos de dez segundos, voilá, a nossa cara aparece estampada numa meia de leite. Por isso, se acabaram de tirar uma fotografia e não sabem muito bem o que fazer com ela…bebam! Literalmente! O engenho, por agora, só está à venda para os comerciantes, mas a marca já anunciou que esse cenário pode mudar em breve (tenho para mim que isto não é lá grande notícia).O preço é de 1299 dólares (+ assinatura mensal de 85 dólares) para os americanos. Para os restantes países do Mundo é necessário solicitar um orçamento. E podemos fazê-lo através do site

http://www.coffeeripples.com.

cafeselfie.jpg

rippple.jpg

Patrícia Teixeira

Edmundo Gonçalves

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens