Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

seainessabedisto

Bacalhau com manteiga de camarão

bacalhau.jpg

Diz-se por aí que "há mais receitas de bacalhau do que dias num ano". A ser verdade, garanto-vos que devo gostar de todas elas. Embora, na minha opinião, nada faça concorrência a um bom bacalhau à bras, confeccionado como manda a tradição. No entanto decidi há dias arriscar uma receita que "roubei" de um amigo, chef de cozinha, e que parece que tem sido um sucesso no restaurante onde ele trabalha. E o que tem de fácil, tem de saborosa. 

 

Ingredientes (para 4 pessoas)

1 chávena de manteiga, sem sal, à temperatura ambiente

2 colheres de sopa de cebolinho fresco picada 

1 dente de alho picado

1 pitada de sal 

4 camarões 

4 filetes de bacalhau

sal

pimenta preta recém-moída

2 colheres de sopa de azeite

 

Preparação

Comecemos por fazer a manteiga. Bata a manteiga, regada com duas colheres de sopa de whisky com a batedeira até ficar com uma consistência mais liquída. Entretanto coza os camarões e triture-os. Adicione-os à manteiga juntamente com o cebolinho picado, o alho e um pouco de sal. Misture bem todos os ingredientes. Coloque a mistura numa folha de papel vegetal e molde uma espécie de cilindro. Coloque-o no congelador cerca de 20 minutos. 

Ligue o forno a 180 graus. 

Tempere o bacalhau com sal e pimenta. Numa frigideira aqueça o óleo em lume médio. Quando estiver bastante quente, coloque os filetes de bacalhau com a pele para cima. Deixe fritar até ficarem dourados, no máximo 4 minutos. Vire o bacalhau e frite por apenas um minuto. Retire-o da frigideira e leve a assar no forno durante mais 5 minutos. Sirva-os com uma fatia de manteiga de camarão no topo. 

 

Flor de pato (ou três em um)

123859.660x372.jpg

Texto de Edmundo Gonçalves e receita de Hermínia Mota Gonçalves

mina e edmundo.jpg

Inventada pela Mina, a minha mqt, uma forma diferente de cozinhar pato, talvez mais saudável. Ou não… eheh. Mas segue também a opção Arroz de Pato e Pato com Arroz.

Como sempre, para duas pessoas.

 

INGREDIENTES:

½ pato c/ miúdos

1 cebola pequena

½  dúzia de dentes de alho

1 chávena de café de arroz

1 couve flor

Sal, pimenta, louro, noz moscada, pimentão, tomilho e picante

1dl de vinho branco

½ chouriço de carne

Azeite, q.b.

 

PREPARAÇÃO:

Arroz de pato:

Limpar a metade do pato de peles e gorduras; Cozer em água com todos os temperos até ficar macio; Retirar quando cozido, desossar e desfiar; Utilizar a água da cozedura para cozer o arroz; Depois de cozido juntar o arroz e o pato desfiado e os miúdos em camadas, num tabuleiro, cobrir com rodelas de chouriço e levar ao forno até aloirar.

 

 

Pato com arroz:

Proceder da mesma forma que para o anterior, retirando porém apenas as gorduras, deixando as peles; Cozer o arroz na água da cozedura do pato e acrescentar os miúdos, partidos; Colocar o pato num tabuleiro sobre a cebola cortada às rodelas e os alhos picados; Cobrir com um pouco de vinho e azeite e rectificar de temperos; Deixar cozinhar até aloirar e deixar a pele tostada; Servir com o arroz de miúdos.

 

Flor de pato:

Proceder da mesma forma que para a primeira sugestão relativamente ao pato (bem limpo de gorduras e peles); Cozer da mesma forma, na água com os temperos, e reservar; Lavar a couve-flor e picá-la no 1,2,3 e dar-lhe um entalão na água da cozedura do pato, de modo a que fique al dente e reservar; Desossar e cortar o pato em fatias pequenas; Cortar a cebola em rodelas e picar os alhos, juntar os temperos e refogar no azeite e no final acrescentar um pouco de vinho branco; Acrescentar-lhe as fatias do pato e envolver; Evaporar o vinho branco, deixando flambear um pouco; Servir com a couve-flor

 

 

 

Às sextas com os Tachos: Cascas

conquilhas.JPG

Receitas de Edmundo Gonçalves

20478557_ZDt5E.jpeg

Umas entradas que podem ser refeição, depende da quantidade que se quiser, ou puder, consumir…

Conquilhas

Ingredientes

1kg de conquilhas frescas (se acabadinhas de apanhar, tanto melhor)

2 ou 3 dentes de alho

Meia-dúzia de pés de coentros

1 limão

Uma pitada de azeite

 

Preparação

Depois de deixar limpar as conquilhas em água do mar, de preferência, ou em água salada, durante algumas horas, colocar numa frigideira funda o azeite, os alhos esmagados com casca e os coentros; Quando a azeite estiver a ferver, juntar as conquilhas e tapar, deixando que abram em lume brando. Servir de imediato para que não percam a água.

ameijoas-bolhao-pato-680x450.jpg

Ameijoas à Bulhão Pato

Ingredientes

1kg de ameijoa (preta ou macha, de preferência)

2 ou 3 dentes de alho

1dl de azeite

Meia-dúzia de pés de coentros

1dl de vinho branco

Preparação

Esmagar os alhos e juntar ao azeite numa frigideira e deixar alourar. Juntar as ameijoas e deixar abrir em lume brando, volteando regularmente o recipiente. No final acrescentar o vinho branco, deixar evaporar e de seguida juntar os coentros picados. Servir de imediato.

Nota: Para quem goste, pode adicionar um pouco de mostarda juntamente com o vinho branco. 

Servir com pão torrado e um verde gelado. Sugere-se um Alvarinho que me enche as medidas: Deu-la-deu, Premium, da Adega Cooperativa Regional de Monção ( e Melgaço ).

Alvarinho-Premium-Deu-de-Deu-sem-fundo-web.png (1)

 

À sexta com os tachos: Favas com entrecosto!

B-001-4319.jpg

Receita de Edmundo Gonçalves

Sem Título.jpg

Está na época desta leguminosa, rica em amido, em ferro, vitaminas do complexo B, magnésio, potássio, zinco e fósforo. O seu elevado conteúdo de fibra, faz com que o consumo de fava nas quantidades recomendadas tenha efeito positivo na redução dos níveis das substâncias gordas no sangue (colesterol sanguíneo e triglicéridos), na regulação do apetite e no funcionamento do trânsito intestinal.

Mas já chega de paleio, vamos lá à função:

 

INGREDIENTES (para dois):

250gr de fava descascada, fresca

100gr de toucinho alto

1 chouriço de carne

1 morcela

1 farinheira

250gr de entrecosto com osso

2 dentes de alho

1 folha de louro

1 ramo de folha de cebola

1 ramo de coentros

1dl de vinho

1 fio de azeite

Colorau, pimenta, sal e piri-piri, qb

 

PREPARAÇÃO:

Fatiar o toucinho muito fino e fritar, sem gordura, no tacho onde se vai cozinhar as favas; Reservar. De seguida juntar um fio de azeite à banha que restou da fritura do toucinho, o vinho branco e o entrecosto e fritar, temperado com as especiarias, o louro e os alhos; Reservar. No molho da fritura do toucinho e do entrecosto, juntar as favas com os ramos de ervas e os enchidos; Deixar cozinhar em lume brando sem destapar, apenas volteando o tacho regularmente e verificando o molho. Se necessário acrescentar um pouco de vinho.

Quando estiver cozinhado, retirar os enchidos, juntar o entrecosto e voltear para envolver os ingredientes. Servir com os enchidos cortados em rodelas e o toucinho frito sobre as favas e o entrecosto. Este é um prato bastante forte, que requer um vinho com muita alma.

Aqui vai bem um alentejano encorpado e de elevado teor alcoólico.

Sugiro um Dez Tostões Tinto, da Herdade da Maroteira, com 15%. Fazem uma sesta depois…

10_TOSTOES.jpeg

 

Às sextas com os Tachos...do Ribatejo!

savel_Ribatejo_Interior_(8)3.jpg

 Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Sável frito com Açorda de Ovas

E agora, comidas e buídas.

Seria também fácil pespegar aqui uma receita e dar de frosques. Mais uma vez não é por aí que vou (vamos); antes, vamos fazer uma viagem aos sabores do Ribatejo, a minha terra, e saborear o peixe do rio, as ervas das ribeiras, os frutos dos valados, uma miscelânea de sabores e cheiros de inebriar. Vamos então começar a viagem!

Comecemos pelo pão e pelo peixe e nada melhor que uma açorda, uma das muitas formas de usar o pão seco um pouco antes de o deixar ganhar bolor e mandar para o galinheiro, onde servia para alimentar os bicos que haveriam de dar uma boa canja em dias festivos ou nalguma doença, e pelo sável, um peixe que escasseia cada vez mais no rio Tejo, infelizmente. Será feito mais ou menos assim:

Ingredientes

1 sável grande, de preferência com ovas (entre 800 gramas e 1 quilo)

 2 pães de trigo (de meio quilo)

Sumo de 0,5 limão

Azeite (cerca de meio litro, para a açorada e para a fritura do peixe), alho, louro, coentros, sal e piripiri

Preparação

Limpar bem o peixe, cortar a cabeça e cortar o resto do corpo em postas finas, e reservar

Cozer em água com sal, louro e um fio de azeite, a cabeça e as ovas do peixe

Partir o pão em pedaços, colocar num recipiente fundo e juntar a água da cozedura. Deixar repousar um pouco para o pão ficar completamente embebido e escorrer depois um pouco. À parte aquecer bem o azeite com os alhos picados e  deitar sobre o pão. Mexer bem para envolver todos os ingredientes. De seguida esfarelar a ova cozida e mexer novamente para envolver no pão. Levar ao lume e regar com o sumo de limão, coentros picados e o piripiri e mexer até obter uma massa uniforme.  Numa frigideira, fritar o peixe depois de salgado e passado por farinha. Servir o peixe numa travessa, sobre alface e a açorda num prato de barro vermelho.

Sugiro o vinho branco ribatejano Quinta do Casal Branco para acompanhar a refeição. 

quinta-do-casal-branco-branco.jpg

 

 

Às sextas com os Tachos

COELHO-À-MODA-DO-CAÇADOR.jpg

 

 

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Coelho à Caçador

 

Bom, eu podia colocar aqui a receita original, que consiste em saltar da cama de madrugada, pegar numa caçadeira, matar o bicho e lá para as onze da manhã fazer uma fogueira (seria Outubro/Novembro não haveria inconveniente legal), abrir o láparo cortando a pele no sentido longitudinal, separando-a da carne deixando-a “pegada” nas patas traseiras e dianteiras, abrir-lhe a barriga e retirar-lhe as vísceras e depois, aproveitando apenas o fígado (e os rins, para quem gostasse), encher-lhe o bandulho com as iscas, uns pedaços de toucinho alto, umas rodelas de chouriço e um pouco de sal, pimenta e todas as ervas aromáticas que encontre por ali à mão e com um fio cozer-lhe a “operação”, na carne e na pele e depois de bem fechados ambos os golpes, afastar o lume, abrir um buraco na terra, mandar lá pra dentro o bicho, cobrir com mais um pouco de terra e cobrir ainda com a fogueira, deixando-a actuar durante mais ou menos uma hora, até retirar tudo e degustar o petisco, retirada que foi a pele por completo e aberta a costura no bicho, deixando libertar todos os aromas. Mas não, vamos fazer a coisa mais simples:

INGREDIENTES:

1 coelho médio

4 dentes de alho

1 cebola pequena

1 tomate maduro

1 pimento vermelho

1dl de azeite

1l de vinho tinto

Sal, pimenta, piri-piri, louro, noz moscada e tomilho

 

PREPARAÇÃO:

Cortar o coelho em pedaços pequenos;

Picar a cebola, esmagar os alhos, pelar e picar o tomate e retirar as sementes e cortar o pimento em tiras. Juntar os condimentos e o azeite e deixar refogar um pouco em lume brando. Juntar o coelho e o vinho tinto e deixar cozinhar durante cerca de uma hora em lume brando, sem deixar de ferver. 

Estando tenro e cozinhado, colocar num tabuleiro e levar ao forno para corar e reduzir o molho. Retirar quando estiver com aspecto de assado. No processo pode utilizar batata cortada em quadrados pequenos que seguem todos os passos, ou em alternativa pode ser servido com batata frita e salada de alface.

Deve acompanhar com um tinto, sempre. Para este prato sugiro um Piteira da talha, alentejano de Alqueva. Vai que nem ginjas!

piteira.png

 

Às sextas com os Tachos

a784586237095be36a0a71dd1af45c58.jpg

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Açorda de Marisco

Outro prato simples para um belo momento. Para dois, como sempre.

Ingredientes:

Pão (de preferência seco, com três, quatro dias)

Água

Alho, Cebola, Piri-piri, sal, pimenta, louro, Coentros

Creme de marisco

1/2dl de azeite

Camarão, ameijoa, mexilhão, sapateira, lagosta

2 ovos

Preparação:

Demolhar o pão em água

Cozer os mariscos e descascar;

Da sapateira aproveitar apenas a carne das tesouras e da lagosta o lombo e desfiar

Picar o alho e a cebola e refogar no azeite com o louro, a pimenta e o piri-piri

Quando a cebola estiver “transparente”, juntar um pouco de creme de marisco e mexer bem

A este refogado juntar o pão (apenas o miolo), depois de amolecido e escorrido e misturar bem

Apagar o fogo e verificar de sal

Depois de estar consistente, juntar os camarões, as ameijoas e os mexilhões descascados e a sapateira e a lagosta desfiadas.

Juntar os coentros picados

Deve servir-se de imediato e momentos antes de servir juntar os dois ovos inteiros e misturar bem.

Nota: guardar a água de demolhar o pão, pode ser necessário acrescentar caso a açorda fique seca,  já que deve ser servida “solta”.

Acompanhe com um Arinto de Bucelas, Quinta da Romeira.

quinta-da-romeira-arinto-bucelas-portugal-10331144

 

 

 

Às sextas com os Tachos

bacalhau.jpg

 

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Bacalhau em cama de caldo verde salteado

 

Mais uma proposta simples, mais uma vez para dois.

 

Ingredientes:

1 posta de bacalhau demolhado

1 saco de caldo verde

1 dente de alho

1dl de azeite

Sal e pimenta

2 ovos

Farinha de trigo

 

Preparação:

Retirar todas as espinhas e peles do bacalhau. Picar o dente de alho muito fino e juntar a um pouco de azeite num wok e deixar fritar um pouco, adicionando uma pitada de sal e pimenta. Juntar depois o caldo verde e saltear. Utilize tempo a gosto (se mais ou menos cozido). Passar um pouco de pimenta pelo bacalhau e depois passa-lo por farinha. Fritar, virando até ficar louro no restante azeite, em lume brando e retirar. No azeite da fritura do bacalhau, estrelar dois ovos tendo o cuidado de deixar a gema líquida. Servir conforme foto, rompendo a gema e deixando-a misturar-se com o caldo verde. Com este prato vai bem um vinho tinto encorpado, pelo bacalhau mas também pelo alho. Sugiro um Vinha Maria Ana.

MariaAna.jpg

 

Às sextas com os Tachos

5a696d835223a2084b3126b12a7b7071.jpg

 

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

 

Pataniscas de bacalhau com arroz de feijão

 

Mais um petisco que uma refeição, ou um petisco que é uma refeição. Cá vai, como sempre para duas pessoas:

 

INGREDIENTES

Para as pataniscas:

1 posta média de bacalhau dessalado

1 e 1/2 chávenas  de farinha de trigo (ou milho se preferir)

½ cebola

1 ovo

1/4L de leite (ou água se for sensível à lactose. Cá em casa usa-se água)

Sal, pimenta e coentros (ou salsa dependendo do gosto)

Óleo para fritar

Para o arroz:

2 mãos cheias de arroz

2dl de água

Feijão previamente cozido (se puder utilizar a água da cozedura tanto melhor) a gosto

¼ cebola

2 dentes de alho

Sal, pimenta e 1 folha de louro

Azeite q.b.

 

PREPARAÇÃO

Pataniscas:

Desfiar o bacalhau e limpá-lo de espinhas e peles. Reservar.

Picar a cebola fininha. Reservar.

Picar os coentros (ou a salsa). Reservar.

Numa taça grande colocar a gema do ovo e juntar o leite (ou a água). Misturar bem.

Acrescentar o sal e a pimenta, os coentros e a cebola picada e de seguida a farinha.

Bater a clara em castelo e reservar.

 

Por fim juntar o bacalhau desfiado, cru, e envolver todos os ingredientes, rectificando a farinha ou o líquido (leite ou água), se necessário.

Deixar repousar durante cerca de 15 minutos, juntar a clara em castelo e misturar bem.

Fritar em óleo bem quente.

Arroz:

Num tacho pequeno colocar um pouco de azeite e juntar a cebola, os dois alhos esmagados e o louro.

Deixar refogar até a cebola estar transparente.

Juntar o feijão com a água da cozedura, bem como o sal e a pimenta.

Deixe levantar fervura e acrescente o arroz.

Coza em lume brando até “abrir” e desligue o fogo deixando terminar a cozedura até ao momento de servir. Este é um arroz que se quer “malandrinho”, com molho, a que pode juntar um pouco de vinagre, se apreciar o gosto.

 

Estas duas etapas devem ser feitas em simultâneo, para que estejam concluídas sensivelmente ao mesmo tempo.

Nota: Se quiser evitar os fritos, pode sempre fazer as pataniscas no forno, para tal deve colocar um papel vegetal num tabuleiro e levar ao forno previamente aquecido a 180º e retirar quando estiverem loirinhas.

 

Bom apetite!

Às sextas com os Tachos

grilled-chicken-breast-with-garlic-2-620x330.jpg

 

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

 

Peito de frango com aipo salteado

 

Mais uma vez um prato de preparação fácil, requintado e bastante agradável.

 

INGREDIENTES (para duas pessoas):

4 peitos de frango

100 gr de bacon

½ cebola

2 dentes de alho

1 pé de aipo

1dl de azeite

1dl de vinho branco

Sal, pimenta (e piri-piri se gostar)

 

PREPARAÇÃO:

Esmagar os alhos e cortar a cebola em rodelas, cortar o pé de aipo em juliana grossa e cortar o bacon em quadrados pequenos. Numa frigideira, deitar o azeite, a pimenta e o piri-piri e juntar o bacon. Deixar fritar até o bacon ficar tostado. Retirar. Ao molho que ficou na frigideira juntar os peitos de frango, previamente temperados de sal e pimenta. Deixar fritar, virando regularmente para ficar com uma cor uniforme, juntando vinho se estiver a ficar sem molho. Retirar quando estiverem bem lourinhos e cozinhados. No molho que restou, juntar o restante vinho branco  e adicionar o aipo e saltear. Quando estiver cozinhado, juntar o bacon e a cebola e o alho que reservou. Retirar e servir num prato como cama para os peitos de frango. Pode juntar batata assada

Com este prato, forte devido ao sabor intenso do aipo, vai bem um espumante Quinta dos Abibes, arinto e baga, reserva 2012 extra bruto. Um mimo, ali das terras do Buçaco.

quinta-dos-abibes-arinto-baga-reserva-2012-extra-b