Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se a inês sabe disto

Qual é o segredo da melhor francesinha do Porto?

 

 

20242718_oSiOc.jpeg

Dizem que está no molho! Para mim, que já estive no Café Santiago a degustar aquela que é considerada uma das melhores francesinhas da Cidade Invicta, acredito que o truque reside na sintonia perfeita de quantidades, sabores e frescura dos elementos que a compõem. Ali servem-se centenas de francesinhas por dia. Perdem-lhes a conta. Mas consta que há dias em que contabilizam mais de 500. A permanente fila de espera é o primeiro indicador de uma qualidade que já lhes valeu vários prémios, certificados de excelência e espaço em algumas das mais conceituadas revistas internacionais. A família que fez crescer e levar a bom porto este negócio adianta que o verdadeiro segredo, a “essência”, como costumam dizer, está bem guardado no seio da família. E assim será enquanto conseguirem mantê-lo. Mas há técnicas e pequenos truques que asseguram a qualidade da Francesinha Santiago e que não se importam de revelar e partilhar com os clientes. Passemos então à prática…

 

Pão: Usam o pão de forma tradicional, cozido em forno de lenha. As fatias são aparadas à mão, com a medida ideal para que possam servir posteriormente de base perfeita à construção da francesinha.

Mortadela: O ponto de partida é uma fatia fina de mortadela, com um sabor suave, mas nunca ao ponto de passar despercebido. Serve de base aos restantes ingredientes.

Salsicha fresca: Recebem todos os dias salsicha fresca que é grelhada no momento em que é pedida a francesinha na mesa. O mesmo acontece com todos os outros ingredientes. Nada é pré-confeccionado.

Linguiça fresca: O sabor tem de ser intenso, com um toque fumado de preferência.

Bife de novilho: Os bifes de novilho das Francesinhas Santiago são provenientes de peças inteiras, frescas, inspecionadas pelos próprios, sem gorduras, e cortadas em bifes grelhados na chapa e colocados por cima da salsicha fresca e da linguiça.

Fiambre: O fiambre é cortado com uma espessura específica de modo a que pareça um “bife” de fiambre.

Queijo: A fatia de queijo não pode ser grossa nem fina. É colocada sobre o fiambre à temperatura ambiente e vai derretendo com o calor do processo e dos restantes ingredientes.

Tostar o pão: Tostar e torrar o pão não é a mesma coisa. O pão da Francesinha Santiago é cuidadosamente tostado, sem torrar, para que fique crocante.

Ovo: O ovo é estrelado na chapa, sem óleo, e cuidadosamente colocado por cima da fatia de pão tostado.

Queijo de Cobertura: Quatro finas fatias de queijo com semi-círculos recortados são colocadas em cima do ovo. O queijo funde-se numa consistência perfeita pelo molho quente.

Molho: São vários os ingredientes que fazem o molho da Francesinha Santiago. Mas eles asseguram que o lume, os tachos, os temperos, os tempos de fervura… tudo faz diferença.

 

 

 

1 comentário

Comentar post