Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

seainessabedisto

Olhó’xquimó fxquinho

gelados.jpg

 

 

Texto de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Vá lá, confessem. Com este Verão antecipado, não vos apetece uma esplanada fresquinha e um belo gelado? Hoje a oferta é tão grande que a gente até tem dificuldade na hora de escolher. No entanto, não foi sempre assim; Eu ainda sou do tempo em que a escolha era entre gelo com corante de morango, ou gelo com corante de chocolate. Ah! E baunilha, quase me esquecia…

Mari’Pinheira era a alcunha do homem que os vendia, vá-se lá saber porquê. A alcunha, claro está. Com o tradicional carrinho adaptado de uma bicicleta, o Mari’Pinheira estacionava a sua geleira ambulante na Praça da República, no Mouchão Parque, na Mata Nacional dos Sete Montes e ao Domingo no estádio municipal, nos jogos do União de Tomar e lá apregoava “olhó ‘xquimó fxquinho!”. A miudagem corria doida para degustar um pedaço de gelo que ele colocava num cone ou num pequeno copo de bolacha americana e que cobria com qualquer coisa com os sabores anunciados. E acreditem, aquilo sabia pela vida, os dois tostões eram o dinheiro mais bem empregue do mundo.

Depois a coisa teve concorrência à altura, com o aparecimento do Rajá. Apesar de se manter fiel ao esquimó, Mari’Pinheira teve a concorrência forte de Cavalo de Pau, que percorria a cidade de lés a lés apregoando “olhó Rajá fxquinho, é frutóxiclate!”. Num pequeno à parte, a alcunha de Cavalo de Pau deve-se ao hobby de ciclista amador do visado. E com os Rajá, a panóplia de escolha foi uma aventura. Havia alguma confusão por parte do vendedor, que sempre que lhe perguntavam “Manel, tens gelados de fruta?” ele respondia invariavelmente “Não, só tenho de laranja e ananás”, mas enfim…

E com o Rajá vinham as figurinhas para colecionar, que faziam parte duma banda desenhada que já passava na televisão, o Carrossel Mágico, que podia ser conquistado com a sorte de se ter um pauzinho premiado. O saltitão, o franjinhas, etc. deram cabo do esquimó. A miudagem perdia-se com as figuras e o Mari’Pinheira, acredito que a contra gosto, lá reconverteu o objecto do seu negócio e passou-se para o Rajá.

Contudo, vendo que havia uma franja de clientes, mais velhos, que não se vendia por quaisquer bonecadas, tratou de adaptar o seu triciclo à venda dos dois produtos, tendo depois o esquimó evoluído para o sorvete de sabores a fruta, que no pino do calor destronava claramente os Rajás apesar de fresquinhos.

Bom, isto agora não interessa nada. Empanturrem-se com uma cassata, vá lá.