Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se a inês sabe disto

O significado escondido nas peças do Monopólio

jogo-monopoly-com-pecas-de-metal-hasbro-575901-MLB

 

 

Se não é o jogo de tabuleiro mais vendido em todo o mundo, anda lá perto. De acordo com o site da Hasbro (empresa que detém os direitos de comercialização do jogo), o Monopólio é vendido em 103 países, publicado em 47 idiomas, adaptado em 300 versões e com cerca de 275 milhões de vendas registadas por ano. Mas há uma questão que sempre me inquietou...por que razão temos de ser um ferro de engomar ou um sapato num jogo onde é suposto assumir o papel de um temido capitalista? Tinha de haver uma razão e eu fui à procura dela...

Embora alguns símbolos tenham sido substituídos ao longo dos anos, as peças não foram, obviamente, escolhidas ao acaso! A cartola, o cão (um Scottish Terrier), o navio de guerra e o carro de corrida são símbolos de poder e riqueza. O sapato, o carrinho de mão, o dedal e o ferro de engomar representam a vida e as profissões dos mais pobres. E é disso mesmo que trata este jogo: a disputa entre as classes sociais pelo poder e riqueza. No meio desta pesquisa, descobri ainda que existe um estudo realizado por Philip Orbanes, criador de jogos de tabuleiro e autor de vários livros publicados sobre o Monopólio, que assegura que a personalidade de cada jogador é denunciada logo no início, com a escolha de determinada peça. Vamos então por partes, ou melhor, por peças...

navio.jpg

NAVIO: Os jogadores que escolhem esta peça tendem a ser mais cruéis do que os outros jogadores. Têm faro e talento artístico. Na hora de tomar decisões financeiras revelam-se autênticos craques de matemática. São agressivos no negócio.

 

sapato.jpg

 

SAPATO: As pessoas que escolhem esta peça são normalmente muito exigentes. Uma em cada 16 pessoas escolhem o sapato. São pessoas generosas mas facilmente irritáveis. Têm boa memória e nunca se esquecem de quando foram desafiados ou testados por outros jogadores. Mais mulheres do que homens escolhem o sapato.

 

carro1.jpg

 

CARRO: É a peça mais popular, preferida por 1 em cada 4 jogadores. As pessoas que a escolhem são extrovertidas, simpáticas e adaptáveis a qualquer ambiente ou situação. Há mais homens que mulheres a escolher o carro. São apaixonados pela vida.

 

chapeu.jpg

CARTOLA: É a segunda peça mais popular deste jogo, escolhida por 1 em cada 5 jogadores. Pessoas que optam pela cartola são geralmente introvertidas na vida real e o jogo é uma forma de escape, onde podem revelar uma personalidade escondida, mais dominadora do que no dia-a-dia. No jogo não se importam de chamar a atenção ou apelar à controvérsia. São mestres na estratégia e calculistas. Não investem antes de avaliar convenientemente as probabilidades de retorno financeiro.

 

ferro.jpg

 

FERRO:  Uma em cada 20 pessoas preferem jogar com o ferro. São persistentes, raramente cedem e a vontade deles acaba quase sempre por prevalecer. No entanto, lidam bem com a adversidade .

 

cao.jpg

CÃO: É mais escolhido por mulheres. São pessoas confiáveis e com vontade de jogar. Mentalmente ágeis e apaixonados pela ideia de ganhar o jogo. São moderados a arriscar e cuidadosos na estratégia. Adoram contar o dinheiro. Não sendo um dos símbolos originais do Monopólio, Orbanes acredita que ele adicionado ao jogo em homenagem ao presidente Franklin D. Roosevelt, que tinha um terrier escocês quando o jogo foi popularizado. 

 

dedal.jpg

DEDAL: Quase sempre escolhido por mulheres, é a segunda peça menos popular do jogo. As pessoas que escolhem o dedal são consideradas práticas, sensíveis e criativas. Orbanes diz que os dedais utilizados em versões anteriores do Monopólio tinham a inscrição: "Para uma boa menina ". Porque noutros tempos, quando uma adolescente atingia uma certa idade, recebia um dedal de presente com essa frase, simbolizando a capacidade que teria para aprender a costurar com a mãe.