Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

seainessabedisto

O Rock in Rio em 1985

 

6.jpg

 

Decorria o ano de 1985 quando Roberto Medina, um publicitário de sucesso no Brasil, decidiu que queria fazer um festival de música. O país aprendia a "gatinhar" na democracia, após um longo e duro período de ditadura, e era óbvio que os obstáculos iam multiplicar-se. O país precisava de somar pontos como destino turístico, a credibilidade do entretenimento estava na mó de baixo e Roberto Medina entendeu que, para ser, teria de ser em grande. Era importante captar a atenção internacional ou nem valia a pena começar. Decidiu enfrentar!

O Governo e a prefeitura do Rio de Janeiro começaram por, a dada altura, bloquear as obras da Cidade do Rock (alegadamente com receio de que Roberto Medina quisesse enveredar pela política). A igreja manifestou-se também contra a iniciativa que, supostamente, iria promover maus comportamentos e um eventual abuso de sexo e drogas. Mas também houve quem desse a mão a este projecto. Roberto Marinho, o então homem forte da TV Globo e da Brahma, ofereceu-se para ser o primeiro patrocinador da iniciativa. Os Queen, imaginem, também colaboraram emprestando a estrutura de iluminação para todas as bandas, sem a qual a realização do evento não teria sido possível. 

No dia 11 de Janeiro de 1985, o Rock in Rio abriu as portas, pela primeira vez, com um cartaz de luxo onde constavam nomes como os AC/DC, Iron Maiden, Rod Stewart, Ozzy Osbourne, Queen, os brasileiros Rita Lee, Gilberto Gil, Paralamas do Sucesso, Rita Lee, Barão Vermelho, entre muitos outros. Foram 10 dias de festa, com a actuação de 28 bandas brasileiras e internacionais e cerca de 1.380.000 pessoas. O Brasil entrou assim para a história dos grandes eventos musicais. 

 

  O cartaz em 1985

ingresso_1.jpeg

 

 

roberto medina.jpeg

  Roberto Medina acompanha as obras de construção da Cidade do Rock

 

rock-in-rio2.jpg

  Roberto Medina com dois dos seus filhos, Rodolfo e Roberta Medina. Ela deu continuidade ao trabalho do pai e é         hoje vice-presidente do Rock in Rio.

 

roberta.jpg  Roberta Medina

 

 

 

2-Ney-Matogrosso.jpg  Ney Matogrosso

 

7.jpg

  A chuva não foi grande aliada do evento

1.jpg

 

3.jpg

 

85-00760-01.jpg  Um ardina a vender o jornal do Rock in Rio

 

2011-460251542-85-00788-04.jpg_20150311.jpg

 

4891582689_7194a78991_o.jpg

 

queen.jpg  Os Queen emprestaram a estrutura de iluminação para todas as bandas

 

rock in rio 1985.jpg

 

scorpions.jpg  Scorpions

 

scorpions autografam copacabana palace 18 de janei  Os Scorpions autografam as t-shirts dos fãs no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro

rita lee2.jpg

  Rita Lee



area-de-aleimentacao-do-primeiro-rock-in-rio-13764

beijo-rock-in-rio-1985.jpg

 

cid castro.png  Cid Castro, criador do logotipo do Rock in Rio

 

e28d4802a5d2082a7d2fcac9e5e58169.jpg

 

metal2.jpg

 

cidadedorock.jpg

rita lee.jpg   Rita Lee

 

Situações caricatas

 

Iron Maiden e o acidente em palco...

A banda actuou no dia de abertura do festival, a 11 de Janeiro de 1985, para mais de 100 mil pessoas. O palco estava decorado com deuses da mitologia egípcia e hieróglifos. O vocalista, Bruce Dickinson cantou uma boa parte do concerto com a cabeça ensanguentada porque, durante a interpretação da quarta música, "Revelations", ao passar uma guitarra para o road manager da banda, acertou sem querer no próprio rosto. The show must go on e Bruce continuou a actuação.

iron maiden.jpg

 

AC/DC

Quando aceitaram integrar o cartaz da primeira edição do Rock in Rio, os AC/DC fizeram uma "pequena" exigência. Ou traziam o tradicional sino que habitualmente acompanha a música Hells Bells ou nada feito. A organização aceitou e patrocinou o transporte do sino, através de um navio, para o Rio de Janeiro. No entanto, o palco não suportou o peso deste elemento decorativo (uma tonelada e meia), e o cenógrafo do festival acabou por fabricar uma réplica de gesso à pressa. Nesta actuação o famoso guitarrista da banda, Angus Young, fez um striptease no palco. Só porque sim...

angus young rock in rio.jpg

sino acdc.jpg

 

Ozzy Osbourne e a galinha 

Ozzy subiu no palco com uma camisa do Flamengo, ao som de I Don’t Know”. O contrato feito com o cantor para este evento tinha uma cláusula no mínimo hilariante. Depois de, durante um concerto em 1982, nos Estados Unidos, onde uma pessoa da plateia lhe atirou um morcego vivo para o palco e ele, ao achar que o animal era de plástico, arrancou-lhe a cabeça com uma dentada, a organização do Rock in Rio decidiu proibir o cantor de morder qualquer tipo de animal vivo durante sua actuação. Por causa deste incidente, um fã atirou uma galinha para o palco da Cidade do Rock. 

ozzy8.jpg

ozzy.jpg

 

 

 

3 comentários

Comentar post

Instagram

PATRÍCIA TEIXEIRA

Arquivo

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.