Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Se a inês sabe disto

O Herman José cometeu sincericídio?

herman.jpg

Já sei que venho meio atrasada para falar do assunto mas só ontem assisti à entrevista do Herman José no "Maluco Beleza". Para os mais distraídos, trata-se de um canal do Youtube, fruto do empreendedorismo e persistência do Rui Unas, onde o actor entrevista quem bem entende. Algumas pessoas com nomes sonantes, outras nem tanto. Basta que por algum motivo tenham argumentos para sustentar uma conversa interessante quanto baste para conquistar e manter a audiência. Ah, e já agora, que deixem posturas politicamente correctas em casa. Ali fala-se de tudo, sem filtros, e quem não gosta tem bom remédio...mude de canal!

O Herman aceitou sentar-se na cadeira do entrevistado e, basicamente, disse o que bem lhe apeteceu sobre o que lhe foi perguntado e sobre as histórias que quis contar. O Unas teve inteligência para fazer as perguntas certas e o Herman a coragem de dizer o que realmente lhe vai na alma, a meu ver com uma graça e tranquilidade desconcertantes. Se ainda não viram, passem por lá e assistam. Garanto-vos que vale a pena. 

E é óbvio que aqui ou na China é impossível que alguém tão popular quanto o Herman conceda uma entrevista tão desbocada como esta sem que posteriormente seja devidamente achincalhado. Não só por aqueles cujo nome veio à baila na conversa e se sentiram lesados por isso, como pelo público em geral que normalmente tem uma tendência inequívoca para corroborar a opinião desses mesmos lesados, quer eles tenham razão ou nem por isso. 

Eu achei um piadão à entrevista e confesso que no final até dei por mim a pensar se estaria a ser justa ao defender que realmente temos o direito de dizer o que nos apetece, quando nos apetece e a quem nos apetece. E cheguei à simples conclusão de que sim, devemos ser frontais, sempre com base nos limites mínimos do respeito pela pessoa de quem se fala.  Porque facilmente o excesso de sinceridade se transforma em má-educação. Não foi o caso do Herman, que soube trazer à tona a sua verdade, a sua sincera opinião sobre as questões que lhe foram colocadas, com a mestria de quem anda nisto há tempo suficiente para usufruir com total liberdade de dizer o que lhe apetece. Também ele já foi achincalhado, criticado, relegado para segundo plano e hoje, décadas depois de ter dado a ganhar milhões às televisões, pareceu-me feliz e em paz com a vida que tem. Voltou aos espectáculos ao vivo pelo país fora, ao contacto com o público e isso pareceu-me (posso estar enganada) que o trouxe de volta ao gosto pela vida artística.