Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

seainessabedisto

Mais doutores!

antonio-costa.jpg

Texto de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

O nosso primeiro anunciou entre outras medidas para o desenvolvimento do país, o aumento de licenciados. Não poderia estar mais de acordo. Uma sociedade é tanto mais evoluída, quanto a capacitação dos seus cidadãos.

Quando eu era miúdo (há algum tempito) dizia-se que com a evolução dos computadores (informática era um palavrão) e dos robots, os humanos teriam mais tempo livre para gozarem o prazer da família e dos amigos, para viajar, etc. Venderam um paraíso que estaria muito distante, mas que seria alcançável e possível.

Ora, já todos nos apercebemos que esta coisa das novas tecnologias avançou a uma velocidade vertiginosa e que o que se pensava demorar largas décadas, é diariamente ultrapassado. Hoje a robótica está presente em tudo o que nos rodeia e todos os dias há coisas novas a aparecer no mercado.

Esta simplificação do mundo do trabalho veio criar muita riqueza. Era esta riqueza que nos foi vendida há cinquenta anos como uma quimera, que deveria ser distribuída de forma equitativa, tendente a proporcionar uma vida melhor a todos. Nada! Hoje as assimetrias são ainda maiores do que naquele tempo, ainda que mascaradas por acesso a outros bens, constatando-se  que apenas 1% da população detém a mesma riqueza que os restantes 99%. De forma simples, o que acontece é que se houver um “bolo” de 198 Euros para 100 pessoas, há um tipo que tem 99 Euros e os restantes um euro cada. Justo?

Bom, mas voltemos ao anúncio do nosso primeiro. É notícia hoje que 10% dos licenciados de 2015 não conseguiu emprego, um em cada dez. Esta é a altura de perguntarem para quê tanto licenciado se depois vão para o desemprego, para que investe o estado nos jovens, para depois os não aproveitar e aos conhecimentos adquiridos.

Curiosamente é hoje também notícia que faltam psicólogos (precisamente o grupo em que mais jovens licenciados estão no desemprego) nas escolas e na área da saúde. Dizem que cerca de 500 nas escolas e 1200 na saúde. Agora digam-me lá, sinceramente, quando leram lá em cima que há um grupinho que detém o graveto quase todo no mundo, se não ficaram logo deprimidos?

Costa, contrata lá os miúdos, pá, senão damos todos em doidos.