Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se a inês sabe disto

Como larguei o vício das redes sociais

mobile-phone-1917737_960_720.jpg

Por vários motivos que não vêm agora ao caso, estou há um mês quase completamente desligada das redes sociais e até do telemóvel. O Instagram está em stand-by e só entro diariamente no Facebook para actualizar a página do blog. Durante este período de desintoxicação reuní algumas dicas bastante úteis para quem está com intenção de fazer o mesmo. Passemos a elas...

Desactive as notificações do smartphone - À excepção daquelas que são realmente importantes, as notificações por tudo e por nada obrigam-nos a estar constantemente a olhar para o telemóvel. Não me parece imprescindível saber que a pessoa x acabou de publicar uma foto no Instagram e muito menos que a pessoa y iniciou um vídeo em directo no Facebook. A não ser que um deles tenha publicado a chave do Euromilhões e o outro esteja em directo da Lua, são informações com fraca probabilidade de acrescentar algo à minha vida e que, por isso, podem ficar para depois. Aliás, isto bem conversadinho era deixar de seguir páginas, pessoas e grupos que verdadeiramente não nos interessam. Seremos menos bombardeados no futuro com actualizações desnecessárias.

Se jantar em casa, deixe o telemóvel noutra divisão. Já agora, e se for mesmo possível, coloque-o em modo silencioso. Destaque para a diferença entre "modo silencioso" e "modo vibratório". No meu caso, como tenho telefone fixo em casa, muitas vezes tenho optado por desligar o telemóvel até ao dia seguinte. Quem é importante na minha vida sabe como contactar-me. 

Desinstale todas as aplicações que já não usa. Mais tarde ou mais cedo acabamos por abrir esta ou aquela aplicação que lá está só porque sim mas que não nos oferece utilidade absolutamente nenhuma. Se tiverem de fazer uma lista de compras, por exemplo, optem pelo método antigo e escrevam tudo num papel. Desfilar no supermercado com uma folha na mão ainda é mais normal (espero!) que desfilar com um telemóvel na esquerda e um pacote de ervilhas na direita. 

Sempre que a tentação for maior que a razão, experimentem usar o telemóvel para ouvir música em vez de divagar nos posts profundos e nostálgicos que invadem o Facebook de manhã à noite. De pessoas igualmente profundas e nostálgicas. Lembrem-se que existem livros, filmes e conversas em lista de espera. 

Quando as saudades das redes sociais comecarem a apertar, dê uma espreitadela rápida para ficar actualizado quanto às novidades e coscuvilhices sobre a vida das outras pessoas. Se vir alguma coisa realmente bombástica...partilhe! Mas fique ciente que este será um dia perdido no processo de desintoxicação. Pelo menos até ao dia seguinte terá de responder a eventuais comentários e contabilizar o número de likes. Sujeito a ficar ligeiramente deprimido se ninguém reagir. Por isso, pense bem antes de agir!

Nos fins-de-semana e feriados vamos ser radicais! Desliguem a internet do telemóvel. Aproveitem para matar o vício tirando fotografias à família, aos amigos, às patuscadas, aos animais e uma ou outra selfie (sem exageros). Não vos vá ser diagnosticado algum distúrbio social. 

Se estiver de férias e com sérias dificuldades neste processo de desintoxicação, peça à pessoa que lhe está mais próxima que crie um código de bloqueio no seu telemóvel e que não o transmita a ninguém. Principalmente a si próprio. Coragem, é só por uns dias! Caso não resista a tocar no smartphone, instale por exemplo o Runstatic e vá fazer uma corrida ou caminhada. Fica a par de todos os detalhes do exercício (calorias gastas e kms percorridos) e ainda consegue matar o vício. 

Se estiver entre amigos ou família, em vez de pegar no telemóvel, experimente iniciar uma conversa sobre a era em que não existiam telemóveis nem redes sociais. Tente lembrar-se de como funcionava a vida e como eram as relações entre as pessoas. Partilhe histórias engraçadas e caricatas. No final, vai certamente dar o tempo como bem empregue. 

Para terminar, um dia encha-de de coragem e desligue o telemóvel quando acordar. A meio da tarde mantenha-o desligado e à noite também. As máquinas também têm direito a dias de descanso!