Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Se a inês sabe disto

Balanço positivo em Rabo de Peixe, nos Açores

caldodepeixe.jpg

 

 

 

Um dos grandes momentos do ano para a vila açoriana de Rabo de Peixe é o já famoso Festival do Caldo de Peixe de Rabo de Peixe. A edição de 2107, que teve lugar no passado mês de Julho, não só correspondeu como superou as expectativas. Sempre com o objetivo de provar ao mundo que as desigualdades sociais e as históricas dificuldades económicas de uma localidade que vive maioritariamente da pesca não chegam para definir, o mentor do festival, Ruben Farias – Presidente da APRAP Associação de Pescas de Rabo de Peixe e do Clube Naval de Rabo de Peixe e responsável pelo projeto Hominis Aqua (que inclui a publicação de um livro com o mesmo nome) – viu a sua meta alcançada numa edição em que, graças à recente presença de companhias aéreas low cost no arquipélago, se assistiu a um acréscimo significativo de turistas no festival. No total foram mais de 4500 caldos de peixe servidos.

Festival Caldo Peixe 2017_1 (1).jpg

Mas, além dos caldos típicos de Rabo de Peixe que dão nome ao festival, quem visitou o festival pode também provar caldos e sopas à moda de Espinho (Confraria da Caldeirada e do Camarão de Espinho), caldos à moda da Graciosa (Associação de Pescadores Graciosences) assim como novas versões de caldos (com algas, por exemplo) propostas pela Escola de Formação Turística e Hoteleira de Ponta Delgada.

Mas como nem só de caldos vive este festival, os hambúrgueres de cavala da chef Patrícia Borges (da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do IPL) revelaram-se um sucesso, tendo sido vendidos 1000 ao longo dos três dias que durou o festival. Igualmente bem sucedida foi a presença dos ouriços-do-mar (promovida pela Confraria do Ouriço-do-mar de Gijón, Astúrias) em todas as suas variantes: caviar de ouriço, paté de ouriço, ovos mexidos com ouriço. Um “tesouro” até agora pouco conhecido na região que será com certeza mais valorizado de futuro.

Como em todas as festas dignas do nome não faltou animação. Estiveram presentes artistas nacionais e internacionais como Quim Roscas & Zeca Estacionâncio, IRIS, Portuguese Kids, Lou Bega, Djane Merche Romero e DJ Mari Ferrari). Mas, como se trata de uma iniciativa de solidariedade, o mais importante: um lucro de mais de 3000 euros graças à venda dos caldos e sopas que reverterá para a escola Rui Galvão de Carvalho e contribuirá para a alimentação das crianças provenientes de famílias com maiores dificuldades económicas.

Festival Caldo Peixe 2017_2.jpg

 

Fechada a chave de ouro que está a edição de 2017, pensa-se já na 6ª edição, a realizar em 2018. Cada vez mais consciente das potencialidades de um evento capaz de levar milhares de pessoas a Rabo de Peixe, dinamizando assim a sua frágil economia, a organização encontra-se já a trabalhar na contratação de bandas para animar a festa do próximo ano e a estabelecer contactos com confrarias que possam enriquecer ainda mais o evento. Para 2018 estão também prometidas surpresas relativamente ao espaço onde se realiza o evento mas, acima de tudo, o que se pretende é colocar o Festival do Caldo de Peixe de Rabo de Peixe na rota dos mais importantes eventos gastronómicos nacionais de forma a trazer à vila o maior número de pessoas, vindas de todos os cantos do mundo.

 

Agradecimento: Nuno Nobre Consultoria

1 comentário

Comentar post

Patrícia Teixeira

Edmundo Gonçalves

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens