Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

seainessabedisto

Às sextas com os Tachos

COELHO-À-MODA-DO-CAÇADOR.jpg

 

 

Receita de Edmundo Gonçalves

edmundo.jpg

Coelho à Caçador

 

Bom, eu podia colocar aqui a receita original, que consiste em saltar da cama de madrugada, pegar numa caçadeira, matar o bicho e lá para as onze da manhã fazer uma fogueira (seria Outubro/Novembro não haveria inconveniente legal), abrir o láparo cortando a pele no sentido longitudinal, separando-a da carne deixando-a “pegada” nas patas traseiras e dianteiras, abrir-lhe a barriga e retirar-lhe as vísceras e depois, aproveitando apenas o fígado (e os rins, para quem gostasse), encher-lhe o bandulho com as iscas, uns pedaços de toucinho alto, umas rodelas de chouriço e um pouco de sal, pimenta e todas as ervas aromáticas que encontre por ali à mão e com um fio cozer-lhe a “operação”, na carne e na pele e depois de bem fechados ambos os golpes, afastar o lume, abrir um buraco na terra, mandar lá pra dentro o bicho, cobrir com mais um pouco de terra e cobrir ainda com a fogueira, deixando-a actuar durante mais ou menos uma hora, até retirar tudo e degustar o petisco, retirada que foi a pele por completo e aberta a costura no bicho, deixando libertar todos os aromas. Mas não, vamos fazer a coisa mais simples:

INGREDIENTES:

1 coelho médio

4 dentes de alho

1 cebola pequena

1 tomate maduro

1 pimento vermelho

1dl de azeite

1l de vinho tinto

Sal, pimenta, piri-piri, louro, noz moscada e tomilho

 

PREPARAÇÃO:

Cortar o coelho em pedaços pequenos;

Picar a cebola, esmagar os alhos, pelar e picar o tomate e retirar as sementes e cortar o pimento em tiras. Juntar os condimentos e o azeite e deixar refogar um pouco em lume brando. Juntar o coelho e o vinho tinto e deixar cozinhar durante cerca de uma hora em lume brando, sem deixar de ferver. 

Estando tenro e cozinhado, colocar num tabuleiro e levar ao forno para corar e reduzir o molho. Retirar quando estiver com aspecto de assado. No processo pode utilizar batata cortada em quadrados pequenos que seguem todos os passos, ou em alternativa pode ser servido com batata frita e salada de alface.

Deve acompanhar com um tinto, sempre. Para este prato sugiro um Piteira da talha, alentejano de Alqueva. Vai que nem ginjas!

piteira.png

 

Instagram

PATRÍCIA TEIXEIRA

Arquivo

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.